Opiniões

Deixe um comentário
Compartilhar

O mal a evitar

A acusação de Lula de que a imprensa age “como partido” é extensiva a este jornal. Mas ele está enganado. Há enorme diferença entre agir “como partido” e tomar partido quando estão em jogo valores essenciais à democracia. Com a responsabilidade à qual nunca se subtraiu em 35 anos de lutas, o Estado apoia José Serra à Presidência, e não só por seus méritos, mas também para evitar grande mal para o País. (Estadão)

Todo poder tem limite

Os altos índices de aprovação popular do presidente Lula não são fortuitos. Refletem o ambiente internacional favorável aos países em desenvolvimento, apesar da crise que atinge o mundo desenvolvido. Refletem, em especial, os acertos do atual chefe do Estado. Lula teve o discernimento de manter a política econômica sensata de seu antecessor. Seu governo conduziu à retomada do crescimento e ampliou uma antes incipiente política de transferências de renda aos estratos sociais mais carentes. A desigualdade social, ainda imensa, começa a se reduzir. Ninguém lhe contesta seriamente esses méritos. (Editorial da Folha de São Paulo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *