Escândalo da Receita

Deixe um comentário
Compartilhar

Sigilo de tucano foi quebrado em MG por outro filiado ao PT

Nome do analista Gilberto Souza Amarante aparece em lista do TSE entre os 276 petistas da cidade de Arcos Funcionário da Receita Federal em Minas, o analista Gilberto Souza Amarante, que acessou os dados fiscais do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, é filiado ao PT desde 2001. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Amarante vota em Arcos, vizinha de Formiga, município onde o analista acessou o CPF do tucano em abril de 2009, por dez vezes em menos de um minuto. Os acessos aconteceram seis meses das violações no ABC paulista contra dirigentes tucanos e contra Verônica Serra, filha do candidato do PSDB à Presidência.

Repercussão eleitoral

Em entrevista ontem em Brasília, a candidata petista Dilma Rousseff, disse que a Receita precisa aprimorar controles, “pois não é possível conviver com vazamentos”. Em São Paulo, José Serra afirmou não ter dúvidas do envolvimento do partido de Dilma nas violações.  “É do DNA do PT”.

“Computador ligava sozinho”

A servidora de Mauá (SP) Adeildda Leão dos Santos disse que muitos usavam computador e várias vezes o encontrava ligado. “Diziam que ele ligava sozinho”.

Caseiro se nega a depor para Serra e grava para o PSOL

Francenildo Costa, o caseiro cujo sigilo bancário foi quebrado em 2006, negou-se a dar depoimento para o programa de José Serra (PSDB). Preferiu gravar para Plínio Sampaio, do PSOL, ao qual está filiado. Serra compara o caso do caseiro ao da quebra do sigilo fiscal de sua filha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *