GESTOS

[ 1 ] Comment
Compartilhar

MIRANDA SÁ (Email: mirandasa@uol.com.br)

“Falar é fácil quando se tem palavras que expressem a opinião. Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente sentimos. ” (Carlos Drummond de Andrade)

Antigamente havia uma espécie de brinquedo com troca-palavras, que começava por “é preciso não confundir”. Lembro-me de alguns, como “é preciso não confundir a prima Vera com Primavera” e/ou a dos meus tempos de estudante, “é preciso não confundir habeas corpus com corpus christi”…

Atualizando, acho que não se deve misturar “Gesto” com “Mímica”. Li certa vez a proposta de uma linguista dinamarquesa (ou seria sueca?), prevendo um possível encontro com alienígenas, dizendo que vamos nos entender “por meio de gestos”.

A pós-doutora escandinava usou a palavra Gesto no sentido de Mímica. Na sua sinonímia, o substantivo masculino Gesto (do latim “gestu”) tem um triplo sentido, vai de aceno, mímica e sinal; até aparência, ação, ato, e maneira de se expressar.

Da mímica, extraí uma anedota antiga, que conta um diálogo feito por gesticulação entre um embaixador da Inglaterra, estudioso da mímica, e o governador da província de Fianarantsoa no sudoeste de Madagascar.

Nem o Inglês falava o dialeto local, nem o Malgaxe entendia o britânico, de maneira que dialogaram por mímica. O embaixador iniciou mostrando um dedo e o governador expôs dois dedos; a seguir o embaixador apresentou três dedos e o governador, fechou vigorosamente o punho erguendo-o à altura do rosto do interlocutor.

Voltando à Grã-Bretanha, o especialista em linguística apresentou na Academia de Ciências o resultado da sua pesquisa. – “Não trocamos uma só palavra”, disse, “mas nos entendemos perfeitamente”. Relatou que mostrou um dedo afirmando a existência de um só Deus, e obteve como resposta dois dedos aludindo ao Pai e o Filho; para significar o Pai, o Filho e o Espírito Santo, apresentou três dedos; então o outro cerrou o punho afirmando que eram três num só.

Em Madagascar, o Governador comentou com seus assessores o encontro e a conversa silenciosa. – “Ele me mostrou um dedo ameaçando enfiá-lo em mim; respondi que meteria dois dedos nele; ele insistiu dizendo que me enfiaria três; aí eu fechei o punho e ameacei dar-lhe soco na cara. Ele então se retirou com medo. ”

As duas versões mostram que a mímica é inconfiável. Então vamos aos gestos, no sentido de ação, no modo de proceder dos três poderes da República, ao meu modo de ver elogiáveis ou condenáveis.

A civilização trouxe uma maravilhosa simbiose do gesto e da mímica com a língua de sinais que atende pessoas surdas, reconhecida pela linguística como língua natural.

O gesto como ação, pode ser admirado e condenado entre os ocupantes do poder. Compare: Na Justiça, enquanto o STF, que viola o próprio regimento, arquivando os processos de suspeição de 111 ações contra ministros, temos do outro lado o ministro Sérgio Moro, dizendo que com a condenação em última instância do réu, após todos os recursos advocatícios, ou ele escapa antes de morrer ou do crime prescrever.

Também na Suprema Corte, tivemos o gesto de Dias Toffoli, que julgando processo do senador Flávio Bolsonaro, aproveitou para fazer a defesa das escapadas de alguns togados e parentes, impondo restrições ao Coaf, um órgão fiscalizador…

No Legislativo, alcançamos o gesto repugnante do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que enquanto engaveta o projeto AntiCrime, apressou a votação e a aprovação do infame projeto do Abuso de Autoridade para impedir a atuação de policiais federais, promotores e juízes da força tarefa da Lava Jato.

Por fim, no Executivo, o presidente Jair Bolsonaro acena em trocar o slogan “Brasil acima de Tudo” por outro qualquer, ao nomear um procurador-geral vira folha, amigo de hierarcas petistas e crítico da Lava Jato, e aplaudido por Dias Toffoli e Rodrigo Maia…

Os mau gestos dos ocupantes do poder no Brasil bem que estão merecendo os gestos pornomímicos dos patriotas brasileiros…

Uma resposta para GESTOS

  1. Meu amigo Miranda, quantos significados tem a palavra “LIBERDADE”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *