Ezra Pound

Deixe um comentário
Compartilhar

ALBA
Enquanto o rouxinol à sua amante
Gorjeia a noite inteira e o dia entrante
Com meu amor observo arfante
Cada flor,
Cada odor,
Até que o vigilante lá da torre
Grite:
……“Levanta patife, sus!
…………Vê, já reluz
………………A luz
………………Depressa, corre,
………………Que a noite morre…”

 

Tradução: José Lino Grünewald

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *