Guy Maupassant

Deixe um comentário
Compartilhar

O CAÇADOR DE PÁSSAROS

 

Por planícies e montanhas em

folhas de flores para caçar na primavera, ela

deixa caçar o amor do menino. Ele

sempre enche seu aviário,

porque ele é um caçador habilidoso.

 

Quando a noite se torna madrugadora,

tende loops, ou a massa

dispersa a liga traiçoeira;

então, sua impressão digital

revela-se com aveia ou milheto.

 

Lurk atrás das sebes verdes

ou ao longo dos riachos.

Está escondido na floresta de abetos

para não despertar dúvidas

nos pássaros inquietos.

 

Entre os lírios e o alecrim,

ou sob o quadro verde,

a criança habilidosa tende a rede,

e logo

o passarinho, o lincoln e o goldfinch vêm no rebanho .

 

Mais de uma vez com um jonquil

ou algumas vime montou um laço,

e então espiava o pássaro

que vem dar a um banquetazo

a isca que ele colocou o malandro.

 

Alegre, inexperiente, maliciosa,

o pássaro se aproxima do engano,

olha com olhos de encantamento,

é animado e, em seguida, por seu dano, ele

gula ganancioso e é preso.

 

O caçador incansável

sempre enche seu aviário,

e longe do prado e da flor

da montanha e do ribera verde

que mordeu a isca do amor.

 

 

Tradução: Leandro Calle

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *