Arquivos de Tags: João Gilberto

Stan Getz – O grande amor

Getz/Gilberto – 1963 –  O Grande Amor

João Gilberto – Doralice

DORALICE

(Dorival Caymmi, 1945)

 

Doralice eu bem que lhe disse

Amar è tolice,

É bobagem, ilusao

Eu prefiro viver tão sozinho,

Ao som do lamento do meu violao.

 

Doralice eu bem que lhe disse

Olha essa embrulhada,

Em que vou me meter

Agora amor,

Doralice meu bem

Como é que nos vamos fazer?

 

Um belo dia você me surgiu,

Eu quis fugir mas você insistiu

Alguma coisa bem que andava me avisando,

Até parece que eu estava adivinhando

 

Eu bem que não queria me casar contigo,

Bem que não queria enfrentar, esse perigo Doralice

Agora você tem que me dizer,

Como é que nós vamos fazer?

Stan Getz e João Gilberto – Doralice

Doralice

 

Composição: Dorival Caymmi e Antonio Almeida

Doralice eu bem que te disse
Amar é tolice, é bobagem, ilusão
Eu prefiro viver tão sozinho
Ao som do lamento do meu violão

Doralice eu bem que te disse
Olha essa embrulhada em que vou me meter
Agora amor, Doralice meu bem
Como é que nós vamos fazer?

Doralice eu bem que te disse
Amar é tolice, é bobagem, ilusão
Eu prefiro viver tão sozinho
Ao som do lamento do meu violão

Doralice eu bem que te disse
Olha essa embrulhada em que vou me meter
Agora amor, Doralice meu bem
Como é que nós vamos fazer?

Um belo dia você me surgiu
Eu quis fugir mas você insistiu
Alguma coisa bem que andava me avisando
Até parece que eu estava adivinhando

Eu bem que não queria me casar contigo

Bem que não queria enfrentar esse perigo, Doralice
Agora você tem que me dizer
Como é que nós vamos fazer?

 

João Gilberto – Palpite Infeliz

Palpite Infeliz

 

Quem é você que não sabe o que diz?

Meu Deus do Céu, que palpite infeliz!

Salve Estácio, Salgueiro, Mangueira,

Oswaldo Cruz e Matriz

Que sempre souberam muito bem

Que a Vila Não quer abafar ninguém,

Só quer mostrar que faz samba também.

João Gilberto canta Wilson Batista

Louco

Louco, pelas ruas ele andava

O coitado chorava

Transformou-se até num vagabundo

Louco, para ele a vida não valia nada

Para ele a mulher amada

Era seu mundo

Conselhos eu lhe dei

Para ele se aquecer

Aquele falso amor

Ele se convenceu

Que ela nunca mereceu

Nem reparou

Sua grande dor

Que louco!

Composição: Wilson Batista – Henrique de Almeida