ESQUERDISMO

[ 9 ] Comments
Compartilhar

MIRANDA SÁ (E-mail: mirandasa@uol.com.br)

“Meu ofício é dizer o que penso” (Voltaire)

Com a experiência de setenta anos como observador e, às vezes, como participante das lutas sociais pelo progresso dos povos e justiça social para os trabalhadores, sofro um pesar imenso pela visão equivocada dos que assumem o chamado “esquerdismo”.

Tenho pena principalmente dos jovens, alguns que me seguem no Twitter, por repetirem como papagaios as lições inconsistentes e inconsequentes de agitadores travestidos de professores, por sua vez confusos nas interpretações teóricas.

Em primeiro lugar, vejo extemporâneo seu modo de assumir a atividade política. Têm a visão distorcida da realidade. Como o mitológico Mapinguari das lendas amazônicas, parece terem apenas um olho atrás da cabeça, olhando sempre para trás…

Sonham com os desfiles dos descamisados e a tomada da Bastilha; com as tricoteiras ao pé da guilhotina, as barricadas da Comuna de Paris, as revoluções camponesas na Alemanha e o 1917 na Rússia. Traindo os ensinamentos da História, caem nas teias narcopopulistas apoiando a corrupção financeira e ideológica do lulopetismo.

Até os ditos “marxistas” distorcem a conjuntura nacional praticando uma política da contestação pela contestação, numa prática indeterminada. Miram generalizadamente qualquer sistema de governo que não seja aquele que financie as suas tresloucadas ações para conquistar votos em nome da “revolução”.

As lutas sociais estão esquecidas, exceto as que a História registra no passado. São incapazes de enxergar que a ciência e os avanços tecnológicos asseguram no alvorecer deste século 21 o domínio da natureza, favorecendo o padrão de vida da sociedade, mesmo entre os desiguais, os mais e os menos favorecidos.

Os comunistas atuais (“herdeiros legítimos da frustrada experiência na finada URSS) arrotam a “luta de classes” se esquecendo de que o assassinato dos kulaks e os milhões de contestadores mandados para a Sibéria, não extinguiram a divisão de classes na URSS onde se instalou uma nova classe dominante, a burocracia partidária.

Fotografias manipuladas, documentos rasgados, omissões de depoimentos como o famoso Relatório Kruschev, apagam da memória a triste experiência marxista-leninista escorregando para o “esquerdismo”, uma falsa ideologia que, segundo Richard Gombin, ”opera como uma inversão total de perspectiva”.

O esquerdismo como verbete não consta de nenhum dicionário do pensamento marxista, mas um vago texto no livro de Lênin “Esquerdismo, doença infantil do comunismo” diz que “designa correntes políticas que são criticadas por seu excessivo radicalismo”. Como teórico, o líder revolucionário russo só viu os ruídos das manifestações e os quebra-quebra produzidos pelos “Black Blocs” de então.

Na verdade, o esquerdismo através da História não passa de grupos desnorteados ou de revolucionários utópicos, mas, principalmente, de mercenários a serviço de um partido populista, como o PT. São os Stédiles e Boulos da vida, cuja principal atividade é conquistar espaço na mídia.

O espelho dos esquerdistas brasileiros são as caricaturais ditaduras dos Castro em Cuba e dos chavistas na Venezuela. Por isso, esses ídolos de barro foram financiados pelos governos Lula e Dilma com o dinheiro do contribuinte brasileiro, rendendo propinas para a caixa do PT.

Lamento que muitos jovens estudantes e trabalhadores bem-intencionados não enxerguem as arapucas em que caem por falta de conhecimento da História. Nada mais claro de que o esquerdismo prejudica o progresso e estimula, em lugar do pensamento livre, um fanatismo de seita.

O esquerdismo foi bem definido pelo psiquiatra Lyle Rossiter no seu livro “The Liberal Mind”, ao perguntar: “Enquanto a crença da direita é coerente até onde a teoria da evolução nos leva, em que se baseia a crença esquerdista?

 

9 respostas para ESQUERDISMO

  1. WELTON REIS DOS SANTOS disse:

    A esquerdopatia é uma doença incurável porque usam a ideologia socialista para curar o capitalismo já que todo socialista gosta de muito dinheiro e conforto fazendo dissimulações inacreditáveis para alcançar seus objetivos. Esse artigo tem que ser muito divulgado para atingir jovens antes que a mentira chegue.

  2. PARÁGRAFO XXI DA ENCÍCLICA SPE SALVI: De autoria de Bento XVI, papa de 19 de abril de 2005 a 28 de fevereiro de 2013 como segue:
    “Max indicou com exatidão o modo como realizar o derrubamento (da classe dominante do seu “Status Quo”… Mas,não nos disse, como as coisas deveriam proceder depois. Ele supunha
    simplesmente que, com a expropriação da classe dominante, a queda do poder político e a socialização dos meios de produção, ter‐se‐ia realizado a NovaJerusalém. Com efeito, então ficariam anuladas todas as contradições; o homem e o mundo haveriam finalmente de ver claro em si próprios. Então tudo poderia proceder espontaneamente pelo reto caminho, porque tudo pertenceria a todos e todos haviam de querer o melhor um para o outro.
    Assim, depois de cumprida a revolução, Lenin deu‐se conta de que, nos escritos do mestre, não se achava qualquer indicação sobre o modo como proceder. É verdade que ele tinha falado da fase intermédia da ditadura do proletariado como de uma necessidade que, porém, num segundo momento ela mesma se demonstraria caduca. Esta « fase intermédia » conhecemo‐la muito bem e sabemos também como depois evoluiu, não dando à luz o mundo sadio, mas deixando atrás de si uma destruição desoladora. Marx não falhou só ao deixar de idealizar os ordenamentos necessários para o mundo novo; com efeito, já não deveria haver mais necessidade deles. O fato de não dizer nada sobre isso é lógica conseqüência da sua perspectiva. O seu erro situa‐se numa profundidade maior.Ele esqueceu que:
    O homem permanece sempre homem. Esqueceu o homem e a sua liberdade. Esqueceu que a liberdade permanece sempre liberdade, inclusive para o mal. Pensava que, uma vez colocada em ordem a economia, tudo se arranjaria. O seu verdadeiro erro é o materialismo: de fato, o homem não é só o produto de condições econômicas nem se pode curá‐lo apenas do exterior
    criando condições econômicas favoráveis.” Bento XVI

  3. A ESQUERDA de define como um Projeto de Destruição do Progresso de un País.
    E o Mestre Miranda define muito bem essa questão em seu Artigo “ESQUERDISMO” .
    Parabéns Mestre por mais um excelente texto desenvolvido.
    Abraço

  4. Mary de Paula disse:

    História deveria ser tão importante quanto a Língua Portuguesa no currículo escolar. Faz tanta falta que muitos querem a volta da ditadura. Pobre Brasil!

  5. Ricardo disse:

    Esquerdismo e Fanatismo deveriam ser sinônimos…

  6. Marcondes Schifter disse:

    Parabéns pelo artigo.

  7. Margot Cardoso disse:

    Esquerdismo é doença.
    Excelente artigo! Parabéns!

  8. ISNAR RIZZI GODINHO disse:

    O esquerdismo brasileiro muito equivocado,veio para tirar dinheiro do contribuinte e enviar para suas contas no exterior e a governos opressores de ditaduras ferrenhas e atrasadíssimas.

  9. Acredito que nos dias de hoje tanto a “Esquerda/Direita” caminham juntas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *