Arquivos Mensais: dezembro 2015

JERRY GOLDMISTH (1929- 2004)

ELMER BERNSTEIN (1922 – 2004)

INFELIZ ANO VELHO

Balanço & Esperanças

Dilma Rousseff ocupa a presidência da República ilegalmente, pois sua campanha foi financiada por propinas no esquema de corrupção da Petrobras, para não falar das promessas mentirosas.

De positivo não se aponta uma só realização do seu governo no infeliz Ano Velho de 2015, mas quanto os erros, desleixos, incompetência e corrupção, ela nos trouxe embrulhados no papel celofane da falsidade

Os presentes de Natal da falsa “gerentona” já foram divulgados amplamente pelas redes sociais, mas não custa anexá-los:

 

BALANÇO

 

  1. Rombo de R$ 120 bilhões nas contas públicas;
  2. Maior inflação dos últimos 12 anos e o menor PIB entre os países emergentes;
  3. Desemprego galopante e diminuição da renda dos assalariados;
  4. Corte de R$ 2 bilhões na Educação, sob o silêncio dos pelegos da UNE e UBES;
  5. Fronteiras escancaradas ao tráfico de drogas e armas;
  6. Hospitais fechados ou em espiral falimentar sem os itens básicos de tratamento;
  7. Assalto aos fundos de pensão e fim da Petrobras pela corrupção lulo-petista;
  8. Sucateamento das FFAA, das Agências reguladoras e do transporte público;
  9. Fim da confiança e credibilidade do Brasil no concerto das nações;
  10. Uso criminoso do FGTS sem protesto dos pelegos das centrais sindicais;
  11. Tentativas de ressuscitar a CPMF e tirar a aposentadoria dos trabalhadores;
  12. Crime inominável contra a Lei da Responsabilidade Fiscal – As “Pedaladas”.

Como tudo que tem começo tem fim, eu desprezo o entreguismo dos fanáticos ou oportunistas subservientes da Pátria Grande dos ditadores latino-americanos, desejando aos patriotas brasileiros que me seguem e aos 93% que desaprovam o PT-governo, a renovação da esperança no futuro próximo.

Será no impeachment da Presidente que cometeu crimes contra a Lei de Responsabilidade Fiscal e é leniente com seus parceiros enriquecidos pelo assalto do Erário, ladrões do patrimônio nacional, beneficiários de fundos perdidos, e aproveitadores de verbas públicas através das entidades fraudulentas, autodenominadas “do movimento social”.

 

ESPERANÇA

 

Que o Ano Novo de 2016 retome o respeito ao trabalho e não à esperteza de vigaristas públicos e privados…  Que os trabalhadores autênticos defendam seus direitos e a pelegagem seja esmagada pelo rolo compressor da História.

Assim, registro o abraço solidário aos resistentes, que não se locupletam neste governo infame, nem abandonam os ideais de Justiça, Liberdade e respeito à pessoa humana.

 

            MIRANDA SÁ, jornalista. 

ALEX NORTH (1910-1991)

DIMITRI TIOMKIN (1894- 1979)

ERICH WOLFGANG KORNGOLD (1897- 1957)

FRANZ WAXMAN (1906 –1967)

MAX STEINER (1888-1971)

DÚVIDAS

MIRANDA SÁ (E-mail: mirandasa@uol.com.br

                                                                         “Nem tudo que reluz é ouro oi/! Nem tudo que balança cai !…”                                                                            (João de Barro, sucesso de Jorge Veiga)

Referindo-me a dúvidas, um dilema dramático, pareceria inevitável que a epígrafe deste artigo fosse a letra de um fado ou de um tango…  Entretanto preferi aludir a uma marchinha de carnaval, pois o tema é a conjuntura nacional, uma tragicomédia…

O Reinado de Momo, embora pagão, sempre traduziu a voz de Deus…  Em 2016, na tradição das críticas antigas teremos “O Japa da Federal” que cantaremos a todo pulmão como ameaça aos corruptos que infernizam o País.

Não sou um nostálgico do passado, mas exalto a época em que a liberdade sobrepunha o cretino “politicamente correto”, com o povão– leia-se amarelos, acobreados brancos, mestiços e pretos, unidos e alegres – cantando “Alá, lá ô” “Amélia”, “Cabeleira do Zezé, ” “Nega Maluca”, e o “O teu cabelo não nega”…

O “Nem tudo que reluz é ouro” vem daquele tempo. E me traz à lembrança uma piada de português contando uma pegadinha de estudantes moradores na pensão de D. Maria, mulher dele. O sêo Manoel (nas anedotas todo português é Manoel ou Joaquim) tinha um relógio de algibeira todo de ouro que era o seu orgulho.

A rapaziada combinou com um relojoeiro da rua enganar o sêo Manoel, que foi desafiado a provar se o relógio era de ouro. Apostaram cem mil réis e foram ao relojoeiro que examinou o cebolão e disse que não era de ouro, apenas folheado.

Sêo Manoel ficou decepcionadíssimo. Mas um dia apareceu na Pensão um colega dos rapazes que olhando o relógio falou com entusiasmo que era de ouro legítimo! Apostaram de novo e foram a outro relojoeiro que confirmou ser realmente um legítimo 20 quilates. Um novo hóspede vendo o cebolão do sêo Manoel perguntou-lhe se era de ouro; e o português vacilando, disse –“ Às bezes é de ouro, às bezes não é …”.

A dúvida do português enganado é a dúvida do povo brasileiro ludibriado pelos pelegos lulo-petistas que transformaram o Brasil num Sindicatão, dominado por uma minoria de espertos que esvaziaram os cofres dos fundos de pensão e levaram a Petrobras à bancarrota.

O despertar da cidadania, porém, está afastando as dúvidas que ainda pairam no País, e leva os detentores do poder à esquizofrenia. A Governanta sai pelos quatro cantos inaugurando obras inacabadas, enquanto assistimos o fechamento de hospitais e ameaças à Previdência Social e ao regime das aposentadorias.

Chegou um novo ministro da Fazenda, “testado e desgastado, com folha corrida de palpites infelizes”, segundo editorial do Estadão, que assumiu prometendo perseguir o ajuste fiscal e o combate à inflação, como se acreditássemos que desagradaria seus parceiros da turma da gastança…

Com o cinismo próprio da pelegagem lulo-petista, Barbosa diz, com todas as letras, que “temos que ajustar o sistema à realidade da economia brasileira”, afirmação que nos dá certeza da farsa que esconde o fracasso, pois promete fazer o que deveria ter sido feito anteriormente…

Não creio que haja dúvidas de que está chegando a hora do ‘capo de tutti capi’ Lula da Silva, enfrentar o Ministério Público Federal, a Polícia e a Receita Federal, que já iniciaram a fiscalização dos repasses feitos pelas empreiteiras corruptas e corruptoras ao ex-presidente.

A Receita fiscaliza repasses de empreiteiras alvo da Lava Jato e vai apurar as doações de empresas ao Instituto Lula, dispêndio e distribuição, e se foram declaradas à Receita por ambos envolvidos na transação.

Será que restam dúvidas de que os farsantes sub-intelectuais e artistas de segunda que correm para defender Chico Buarque não foram os mesmos que agrediram Regina Duarte, investiram contra o ministro Joaquim Barbosa e ameaçam o juiz Sérgio Moro?

Mas, infelizmente, ainda resta uma incerteza: Além dos casos de incompetência, corrupção e atentados à legislação vigente, claros como água de esgoto, será que a grande responsável, Dilma, escapará do impeachment?

Temos a convicção, uma certeza matemática, de que afastamento da falsa “Gerentona” é necessário e urgente para resolver a crise que o Brasil atravessa, crise de confiança e credibilidade.

Bernard Herrmann – Taxi Driver (theme)