Arquivos Mensais: março 2014

Erasmo Carlos e Marisa Monte – Mais um na multidão

“A Petrobras É Nossa?”

MIRANDA SÁ (E-mail: [email protected] )

Passando dos 80 anos de idade, minha memória (felizmente) ainda está fresca em relação aos anos 50 do século passado. Lembro que fui com o meu pai, patriota verde-amarelíssimo, a um comício d’ “O Petróleo é nosso” na Esplanada do Castelo, Rio, que foi dissolvido numa ação repressiva da Polícia Especial.

Jovem e afoito levei uma cassetetada que me doeu durante muitos anos. E com a dor, sedimentei meu amor pela Petrobrás (com assento agudo) que me acompanhou a vida toda. “A vida toda?”, não; cessou quando a empresa ícone do povo brasileiro foi privatizada pelos pelegos que ascenderam ao poder na eleição de Lula da Silva.

Queiram ou não queiram os aparelhados na administração pública e os intelectueiros chapas-branca, não se pode negar que os desmandos na Petrobras se fixaram e se ampliaram no PT-governo.

Chegou a ser convocada uma CPI para investigar as multifacetadas denúncias de que as ratazanas roíam o patrimônio da Petrobras. A CPI foi abafada com a compra de parlamentares, entre eles o impichado Collor, que terminou com diretorias e cargos de mando na empresa.

Agora, explodindo a bomba da impudente e desonesta compra da Pasadena, estalou as cabeças e a consciência dos brasileiros. Parece-me que chegou a hora de abrir a ‘caixa preta’ da indignidade praticada pela política governamental na gestão da empresa petrolífera.

O pior de tudo é que o escandaloso prejuízo na refinaria texana não resume os crimes. Eles se multiplicam e são revelados a cada dia que se passa desde o afloramento do episódio Pasadena. Vê-se escorrer no ralo da corrupção o loteamento da direção com partidos devassos, doações a ONGs, apadrinhamentos imorais, associações delituosas com empreiteiras e terceirizações.

Revoltante foi dar-se conhecimento da compra de outra refinaria, no Japão, nos mesmos moldes vergonhosos e rapinagem da ocorrência nos Estados Unidos. Tudo isto começado no Governo Lula e chancelados pela presidente Dilma, mamulengo que ele manipula e controla.

No processo das denúncias, assiste-se o malogro de Dilma, vendida ao eleitorado em campanha eleitoral como uma “Gerentona”.  Ela afirmou desconhecer as cláusulas do contrato de Pasadena – e certamente da japonesa… Depois, veio com nova versão também enganadora para explicar “que no momento não sabia”.

Tomou conhecimento depois? Porque não agiu contra? Porque se omitiu tanto tempo, no período em que transpareceu o caso? Foi traída pelos diretores que lhe apresentaram o relatório? Porque os manteve, e ainda promoveu-os? 

Esse contrato de compra da parte beneficiária dos belgas deu um prejuízo de mais de US$ 1 bilhão. E fez pior, abalou e desacreditou a empresa e seus executivos, por ser impossível encobrir uma transação desse tipo.

Tal situação além de desastrosa é a ponta do iceberg que representa somente 10% do seu volume; os 90% restantes oculto à vista traz no seu interior impurezas que causarão maiores danos econômicos e políticos.

Só em desconfiar do que está por vir no desdobramento das investigações mancha a administração da Petrobras e do PT-governo. Degrada a direção da empresa, subverte a confiança na chefia da Nação e profana a nacionalidade.

Então surgem pífias explicações e justificativas ordinárias e desprezíveis. Lemos nas entrevistas dos hierarcas do PT e do Ministério Dilma e nas mensagens da Rede Social a má qualidade dos argumentos que intentam asilar as tristes figuras do drama pátrio.

Para os escribas e fariseus hipócritas, os críticos e os que exigem o aprofundamento das investigações são maus brasileiros que querem manchar a Petrobras e destruí-la. São incapazes de ver que os ‘bons brasileiros’ que defendem, privatizaram a Petrobras em proveito próprio; infiltraram-se nas diretorias e se apossaram dela, que perdeu R$ 200 bilhões nos 12 anos de PT-governo e despencou no ranking das grandes empresas do mundo do 12º lugar para a 112ª posição.

Os que querem impedir uma punição exemplar dos causadores da tragédia nacional, são os mesmos que defendem o marco civil para censurar a internet e enterrar a CPI convocada pelos senadores.

A Petrobras que levou multidões às ruas em sua defesa nas manifestações d’ “O petróleo é nosso”, dos sonhos do meu pai e da minha adolescência, é o desenho de um logotipo e um nome no papel… Pertence hoje aos partidos que estão no poder com o PT à frente, e os pilantras que militam neles… Favorecendo-os, elevando-os e enriquecendo-os.

Vejo, como patriota, que à pergunta “A Petrobras é nossa?” a resposta pronta e resoluta é: “A Petrobras é deles”.

Maria Bethânia – Tá Combinado

Caetano Veloso, Gilberto Gil, Ivete Sangalo – O Meu Amor

Gonzagão – O xote das meninas

Gil – Respeita Januário, Xote das meninas, Eu só quero um xodó

João Bosco – Quando o amor acontece

Elis Regina – Se eu quiser falar com Deus

Raul Seixas – A Maça

Jorge Mautner – Namoro Astral