Arquivo do mês: maio 2013

Diógenes da Cunha Lima

JESUS, UM NORDESTINO

 

 

 

Eu penso que Jesus

 

Devia de nascer em Belém

 

Na Paraíba, perto de Guarabira

 

E vizinho a Pirpirituba.

 

E se não bastasse a vizinhança

 

A indicar rima e caminho, Nova

 

Cruz.

 

 

 

Era filho caçula de Dona Maria

 

Uma mulher dona da beleza

 

E que germinava bondade nas

 

pessoas

 

Era um menino moreno muito

 

esperto,

 

Embalado em rede de algodão

 

cru.

 

Tinha sandália com currulepo

 

entre os dedos

 

e cajus, em dezembro, a lhe

 

matar a sede.

 

 

 

O seu pastor fora um vaqueiro

 

nordestino

 

De gibão e perneira e

 

guarda-peito

 

Pra livrar as suas carnes da

 

jurema.

 

 

 

E vieram adorar o Deus-menino

 

Os Santos Reis, entrelaçados de

 

bom jeito

 

Um negro, um índio e um

 

branco português.

 

 

 

 

 

Seria fácil encontrar espinhos

 

para a fronte

 

Divina coroar, e um caminhão

 

Que ia por São José do Egito

 

Pra levar Jesus, o retirante,

 

Até São Paulo,

 

Um santo feito para as grandes

 

secas.

 

 

 

Meu Deus, meu Deus, por que

 

Nos abandonaste, exclamaria

 

Enquanto repartia com o povo

 

nu as suas vestes

 

 

 

Multiplicadas como pães ou peixes.

 

 

 

Criança, era carpinteiro como seu

 

pai

 

fazendo caixões azuis para os anjos do lugar.

 

Brincaria de castanha, um

 

castelo,

 

Como convém a sua alta

 

nobreza.

 

 

 

Academia, pulava num pé só

 

E proezas faria num cavalo de

 

pau.

 

O seu jumento era mais magro

 

certamente.

 

 

 

E nem serviria pra carne de

 

jabé

 

Era um menino desnutrido

 

como os outros

 

 

 

De região a fazer o bem,

 

mudar.

 

Aqui as coisas só vão na base

 

do milagre

 

 

 

Ou da força parida da vontade.

 

Eu penso que Jesus

 

Devia de nascer em Belém

 

Na Paraíba.

 

Biografia de Diógenes da Cunha Lima aqui.

Chamadas de 1ª página nos jornais de hoje,6ª-feira, 31.mai.13

O GLOBO – Crise com PMDB ameaça Dilma em seis estados

EST. DE MINAS – Aécio volta à TV e ataca a inflação

ESTADÃO – Aécio usa inflação e gestão em MG para criticar Dilma

C. BRAZILIENSE– País vive risco de estagflação

ZERO HORA – Posição do governo ainda é mistério

FOLHA DE SP – BC diz que manterá aperto até confiança se consolidar

J. DO COMMERCIO (PE) – Economia brasileira menos competitiva

VALOR – Baixo crescimento força investimento ‘defensivo’

Plínio Sanderson

Bequiana

 

há algo de podre na límpida lama.

a fama do beco bóia no Potengi.

primazia institucional pelo aparelho do Beco

atrapalha o trabalho

sacrofício.

 

se tudo flui

à cidade e arrabaldes

confluem às suas entranhas.

absorto em pedra, bares e botecos

tudo sedimenta no Beco.

cloaca do universo.

 

tinha um beco no meio do caminho…

não foi um rio…

foi um beco que ficou em minha vida.

levitante alma na lama

arte não reta, ereta!

 

intempéries da confusão in urbe.

suspiros poéticos e hospício ao céu que reluz

beco estorvo criador

imagem semelhança das suas criaturas.

tipos. figuras. espécimes. trastes. bichos. personas.

ratos humanos. escrotas corjas. santos dementes.

putas que pariram.

jogo de bicho, toda sorte e azar ao léu.

nicho nojento que dá na bocágua e álcool.

 

beco umbilical cordão do imaginário udigrudi.

ecos do tonheca no royal cinema

potiguarânia, magestic…

redutos zeros.

amálgama das nações canguleira & xária.

espaço sagrado, vomitado, sangrado.

chão de profundezas infinitas.

 

não reproduzir provençais

picuinhas políticas tradicionais.

vide seculares oligarquias barrocas

NATALVESMAIA.

chega de tentar dissimular:

discursos modernosos,

lábias & lorotalheias.

ao cerne the question:

práxis!

 

como diluir lama na fama?

suscitar o beco como saída

contra o tódio desmemoriado?

como inserir, edificar

mítica viela em espaço concreto?

onde assentar os sem-beco?

espacializar & territorializar o beco!

 

a labuta é fazer tradição.

exercitar história.

render-se à memória.

excitar libido

feito portas de igreja e pernas de prostitutas

sempre prontas a deixar-se passar…

 

beco vício vil, falaocioso.

o beco não cabe em si

funda-se em santíssimos saberes:

vicissitudes nos coitos cotidianos.

 

culto à mística do beco é buraco neglo.

da clara lama ao caos da fama

sambas & rachas & bambas

alilás, ofensiva lilás é interseção

entre o rego e o brilho

do gênero ao sui-generis.

na calçada de fama

altos saltos egolátricos.

urge altruísmo!

 

transformar em tradição é argumento pragmático.

venha a nós todos os quadros

do beco e do bequismo

todas siglas numa suculenta sopinha de letras

todas matizes pereirálticas,

para lavar, pixar, pintar o beco.

Põe Pôla na sua vida e caótico fuxico se instaura.

escarrar no beco enquanto esperamos gardênia.

maledicências febris…

 

na contramão da abstração “das kapital”

mais-valia boemia, delírios in tremens.

ébria produção vitae.

cada gole como se fosse o último voto.

fosso átimo fossa.

 

milacrias

beco na veia

no veio ávido

saída onírica

SAMBA em todos os TAOS.

 

Biografia de Plínio Sanderson aqui.

Chamadas de 1ª página nos jornais de hoje, 5ª-feira, 30.mai.13

O GLOBO – Nem Pibinho segura juros, que vão a 8%

EST. DE MINAS – Copom surpreende e juros sobem para 8%

ESTADÃO – BC eleva juros para conter a inflação

C. BRAZILIENSE– Consumo cai, PIB segue fraco e BC aumenta juros

ZERO HORA – PIB decepciona, juro sobe e dólar dispara

FOLHA DE SP – PIB decepciona, mas BC aumenta juros ainda mais

J. DO COMMERCIO (PE) – Inflação e pibinho elevam Selic a 8%

Sanderson Negreiros

A ÁRVORE

 

A árvore tem a palavra

Tranquila. Só foi dada

A pássaros. Por isso, flutua

Com jeito recolhido.

Quem garante a permanência

Da árvore? as aves?

As aves são de precária

Matéria: não se renovam.

 

Aos pássaros não foi dada

A constância do arco

Entre a árvore e o chão.

A brisa? Às vezes, a brisa

Medita, sábia, sobre as frondes.

Mas nunca atinge a duração

Da árvore. Quem acusará

A morte dessa faina repetida?

E sua doçura de verdes

Ocasionais? A árvore tem

Verões de mármore. Quem sentirá

Sua fadiga de pouso?

 

do livro OS LANCES EXATOS

 

Biografia de Sanderson Negreiros aqui.

Chamadas de 1ª página nos jornais de hoje, 4ª-feira, 29.mai.13

O GLOBO – Aécio: Dilma deve pedir desculpas

EST. DE MINAS – Aécio: Dilma deve desculpas

ESTADÃO – Aécio diz que Dilma deve desculpas pelo Bolsa Família

C. BRAZILIENSE– Aécio: Dilma deve “desculpas formais”

ZERO HORA – Em busca de leis mais eficientes

FOLHA DE SP – Aécio sugere que Dilma se desculpe e critica Caixa

J. DO COMMERCIO (PE) – “Dilma devia pedir desculpa”, diz Aécio

VALOR – Para Aécio, presidente deve desculpas à população

Ariano Suassuna

NOTURNO

 

Têm para mim Chamados de outro mundo

as Noites perigosas e queimadas,

quando a Lua aparece mais vermelha

São turvos sonhos, Mágoas proibidas,

são Ouropéis antigos e fantasmas

que, nesse Mundo vivo e mais ardente

consumam tudo o que desejo Aqui.

 

Será que mais Alguém vê e escuta?

 

Sinto o roçar das asas Amarelas

e escuto essas Canções encantatórias

que tento, em vão, de mim desapossar.

 

Diluídos na velha Luz da lua,

a Quem dirigem seus terríveis cantos?

 

Pressinto um murmuroso esvoejar:

passaram-me por cima da cabeça

e, como um Halo escuso, te envolveram.

Eis-te no fogo, como um Fruto ardente,

a ventania me agitando em torno

esse cheiro que sai de teus cabelos.

 

Que vale a natureza sem teus Olhos,

ó Aquela por quem meu Sangue pulsa?

 

Da terra sai um cheiro bom de vida

e nossos pés a Ela estão ligados.

Deixa que teu cabelo, solto ao vento,

abrase fundamente as minhas mão…

 

Mas, não: a luz Escura inda te envolve,

o vento encrespa as Águas dos dois rios

e continua a ronda, o Som do fogo.

 

Ó meu amor, por que te ligo à Morte?

 

Biografia de Ariano Suassuna aqui.

Chamadas de 1ª página nos jornais de hoje, 3ª-feira, 28.mai.13

O GLOBO –  Governo culpa 3º escalão por erro no Bolsa Família

EST. DE MINAS – Caixa admite falha e pede desculpas

ESTADÃO – Caixa omitiu liberação do Bolsa Família e admite erro

C. BRAZILIENSE– Erros e desculpas na crise do Bolsa Família

ZERO HORA – Caixa admite equívoco e pede desculpas

FOLHA DE SP – Caixa admite que cometeu erro sobre Bolsa Família

J. DO COMMERCIO (PE) – Caixa admite erro de informação sobre BF e se desculpa

VALOR – Oposição quer ouvir presidente da Caixa

ARTIGO

Bolsa Família: Boatos típicos da contra-informação

MIRANDA SÁ (E-mail: mirandasa@uol.com.br)

O fato político mais importante da 2ª quinzena de maio foi, sem dúvida, o boato sobre o Bolsa Família, nascido no seio do PT-governo, que o demonizou, acusando ou apenas insinuando tratar-se de uma manobra da oposição.

A presidente Dilma referiu-se a ‘crime’ definindo a corrida dos bolsistas como um fato “absurdamente desumano”, e solicitou da Polícia Federal investigação imediata. É impossível provar se ela sabia que a origem de tudo foi a alteração no calendário dos pagamentos do benefício, sem aviso prévio.

Sem aviso prévio e suspeito, porque à primeira hora a direção da Caixa Econômica negou essa informação. Porque a negativa? Depois, oficialmente, numa cuidadosa nota, alterou a negativa e admitiu ter antecipado o pagamento para a sexta-feira, dia 17, com o objetivo de melhorar o Cadastro de Informações Sociais.

Huuummm… E o boato, partiu de quem? Foi uma chispa que levou pânico a milhares de beneficiados, numa manifestação inesperada. Inexplicável é que os caixas estavam reforçados com antecedência e atenderam 920 mil saques no momento, despendendo 152 milhões de reais no pagamento do benefício.

A Polícia Federal levou a sério a ordem de Dilma e em menos de 48 horas apresentou os primeiros resultados apontando a ação partiu de ligações originadas por telemarketing. E, sem dar o nome da empresa à publicidade, concluiu a investigação.

Agiu bem e prontamente a PF, por se tratar de um crime. Quando alguém recebe uma notícia que foi preparada para causar efeito político está sendo vítima de estelionato. Onde há crime, há criminoso; neste caso, autor da contra-informação oficial presente no cotidiano dos brasileiros.

É uma manobra executada na propaganda do PT-governo, nas ‘sondagens’, nas ‘pesquisas’, em estudos e no levantamento de estatísticas para alimentar o marketing – cérebro, coração e pulmões do governo virtual de Dilma.

Voltando ao boato do Bolsa Família, é evidente a participação nele de agentes do lulo-petismo. Basta lembrar a pressa da ministra Maria do Rosário acusando a ‘oposição’, com base na escapatória inicial da Caixa Econômica e o pronunciamento sisudo do Ministro da Justiça suspeitando de responsabilidade da internet…

Ora, a rapidez do boato leva à Rede Social, sem dúvida, mas a população interessada que não tem acesso à internet; e esse foi o fio da meada para os hábeis investigadores da PF: só pode ser o celular o meio de comunicação acessível a todos…

Aí, uma pergunta se faz necessária: Como e por que a tal empresa de Telemarketing – cuja razão social está escondida até a hora em que redijo este artigo – possuía a relação dos dependentes do Programa?

Ocorre é que os tempos que atravessamos favorecem preocupações sociais e está na carestia de vida o retrato da inflação provocando insegurança financeira. Neste terreno fértil de inquietação, uma visita ao supermercado ou à feira, dá força a boatos de todos os gêneros.

Isso facilitou o trabalho da central de boatos apontada pelos ministros de Dilma e na fala revoltada dela. Estava armado um golpe para um dos dois presidentes aparecerem defendendo ‘os pobres’ contra a direita reacionária.  O boato sem dúvida se beneficiaria politicamente o PT-governo: um atendimento rápido à corrida nas agências bancárias mostrando eficiência; e as acusações feitas à oposição atingindo os menos dotados de inteligência.

Outra coincidência bem coincidida: Dilma estava no Nordeste, onde o mapa registra a maior incidência de bolsistas familiares… Seu discurso estava pronto para atender aos nordestinos dependentes dos programas sociais.

Foi lá em cima (geograficamente) que ela havia dito estar disposta “a fazer o diabo’ para se reeleger… Naquele palanque de acolhimento a pronunciamentos retóricos e demagógicos, Dilma não teve cerimônia em insinuar o boato como ‘de oposição’.

Faz parte da teoria da contra-informação provocar emoção intensa ao auditório, e a denúncia imediata de que foi a ‘oposição’ a responsável pelo boato semeou dúvidas até agora não desmentidas. Venho colocando aspas em ‘oposição’ por que não vejo organização e muito menos força aos partidos que, apenas no parlamento – reagem às maracutaias do PT-governo.

 

Alfonsina Storni

A SÚPLICA

 

Senhor, Senhor, há muito tempo, um dia,

sonhei o amor, como ninguém houvera

inda sonhado, amor que fosse e que era

a vida toda todo uma poesia.

 

Passa o inverno e esse amor não chegaria,

passaria também a primavera;

o verão persistente volveria

e o outono, ainda me encontra à sua espera.

 

Ó Senhor, sobre minha espádua nua,

faze estalar, por mão que seja crua,

o látego que mandas aos perversos!

 

Que já anoitece sobre minha vida

e esta paixão ardente e desmentida

eu a gastei, Senhor, fazendo versos!

 

Tradução: Osvaldo Orico

 

Biografia de Alfonsina Storni aqui.