Arquivo do mês: abril 2013

Raul Bopp

Coco de Pagu
Pagu tem os olhos moles
uns olhos de fazer doer.
Bate-côco quando passa.
Coração pega a bater.

Eh Pagu eh!
Dói porque é bom de fazer doer.

Passa e me puxa com os olhos
provocantissimamente.
Mexe-mexe bamboleia
pra mexer com toda a gente.

Eli Pagu eh!
Dói porque é bom de fazer doer.

Toda a gente fica olhando
o seu corpinho de vai-e-vem
umbilical e molengo
de não-sei-o-que-é-que-tem.

Eh Pagu eh!
Dói porque é bom de fazer doer.

Quero porque te quero
Nas formas do bem-querer.
Querzinho de ficar junto
que é bom de fazer doer.

Eh Pagu eh!
Dói porque é bom de fazer doer.

 

Biografia de Raul Bopp aqui.

Chamadas de 1ª página nos jornais de hoje, 3ª-feira, 30.abr.13

ESTADÃO – Congresso e STF acertam ‘trégua’, mas PT atropela

C. BRAZILIENSE – PEC da crise com STF perto do fim

O GLOBO – PT ataca STF em dia de conciliação

FOLHA DE SP – •Deputado do PT quer novo projeto contra Supremo

J. DO COMMERCIO (PE) – Renan e Alves negam crise entre Poderes

ZERO HORA – Maia propõe mais uma PEC contra o Supremo

EST. DE MINAS – Proposta bomba rumo à gaveta

VALOR – Renan, Alves e Mendes abrem diálogo sobre confronto

Luís Fernando Veríssimo

Tu e Eu
 

Somos diferentes, tu e eu.

Tens forma e graça

e a sabedoria de só saber crescer

até dar pé.

Eu não sei onde quero chegar

e só sirvo para uma coisa

– que não sei qual é!

És de outra pipa

e eu de um cripto.

Tu, lipa

Eu, calipto.

 

 

 Gostas de um som tempestade

roque lenha

muito heavy

Prefiro o barroco italiano

e dos alemães

o mais leve.

És vidrada no Lobão

eu sou mais albônico.

Tu, fão.

Eu, fônico.

 

 

 És suculenta

e selvagem

como uma fruta do trópico

Eu já sequei

e me resignei

como um socialista utópico.

Tu não tens nada de mim

eu não tenho nada teu.

Tu, piniquim.

Eu, ropeu.

 

Gostas daquelas festas

que começam mal e terminam pior.

Gosto de graves rituais

em que sou pertinente

e, ao mesmo tempo, o prior.

Tu és um corpo e eu um vulto,

és uma miss, eu um místico.

Tu, multo.

Eu, carístico.

 

És colorida,

um pouco aérea,

e só pensas em ti.

Sou meio cinzento,

algo rasteiro,

e só penso em Pi.

Somos cada um de um pano

uma sã e o outro insano.

Tu, cano.

Eu, clidiano.

 

Dizes na cara

o que te vem a cabeça

com coragem e ânimo.

Hesito entre duas palavras,

escolho uma terceira

e no fim digo o sinônimo.

Tu não temes o engano

enquanto eu cismo.

Tu, tano.

Eu, femismo.

 

Biografia de Luis Fernando Veríssimo aqui.

Chamadas de 1ª página nos jornais de hoje, 2ª-feira, 29.abr.13

ESTADÃO – Renan e Marco Aurélio Mello baixam o tom da crise

C. BRAZILIENSE – Após 10 anos, UnB vai rever cotas raciais

O GLOBO – País cria mais de 250 sindicatos por ano

FOLHA DE SP – EUA são principal destino de armas de fogo do Brasil

J. DO COMMERCIO (PE) – Lula acha difícil tirar Eduardo da disputa

ZERO HORA – Após crise, Alves prega “cuidado” com PECs

EST. DE MINAS – Disputa bilionária pelo apoio de prefeitos

VALOR – Petrobras só terá 30% no pré-sal, diz ministro

Alphonsus de Guimaraens Filho

À VONTADE

                               (trecho final)

Não seja por isto, noite.
Melhor é que desças. Com toda a tua treva.
E entre nós — embora ressabiados e feridos — até que poderás ficar à vontade.

Pois de qualquer modo há em ti um frêmito vôo informulado,
grande ave de asas cegas…

Somos teus, como sabes, todos te pertencemos, constrangidos embora.
Mas não seja por isto.
A casa é tua — como nestes domínios é hábito dizer aos amigos —
e poderás ficar à vontade.

              De Transeunte (1963-1968)

Biografia de Alphonsus de Guimaraens Filho aqui.

Matérias de capa das revistas semanais

Veja

Capa –  O ataque à Justiça: Para escaparem da cadeia, os réus e os radicais do PT desafiam a Constituição e a harmonia entre os poderes.

Época

Capa –  Salve Jorge: Os acertos de Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil.

ISTOÉ

Capa –  Maioridade penal aos 16 anos? Eles votam para presidente, agora podem até mudar de sexo, mas são tratados como crianças quando cometem crimes bárbaros. Está na hora de o Brasil enfrentar de vez esta questão.

Carta Capital

Capa – Exlusivo: A central de grampos de Marconi Perillo; nem aliados do governador goiano foram poupados da espionagem.

EXAME

Capa – Eike Batista: O sonho acabou?  

ISTOÉ Dinheiro

Capa – Os bilionários da Educação: Fusão de R$ 13 bilhões entre a Anhanguera e a Kroton Educacional dá origem ao maior grupo privado de ensino do mundo

Chamadas de 1ª página nos jornais de hoje, domingo, 28.abr.13

O GLOBO – Transposição atrasada: Projeto hídrico se arrasta no sertão

J. DO COMMERCIO (PE) – Últimos dias para prestar contas ao leão

FOLHA DE SP – CLT faz 70 anos com 18 milhões sem carteira

C. BRAZILIENSE – Transparência: Desvios no Itamaraty ficam em caixa-preta

ESTADÃO – STF prepara reação institucional contra proposta da Câmara

ZERO HORA – Defesa de Rose lista testemunhas

EST. DE MINAS – Aécio eleva o tom contra o PT

Octavio Paz

ESCRITO COM TINTA VERDE

 

A tinta verde cria jardins, selvas, prados,

folhagens onde gorjeiam letras,

palavras que são árvores,

frases de verdes constelações.

 

Deixa que minhas palavras, ó branca, desçam e te cubram

como uma chuva de folhas a um campo de neve,

como a hera à estátua,

como a tinta a esta página.

 

Braços, cintura, colo, seios,

fronte pura como o mar,

nuca de bosque no outono,

dentes que mordem um talo de grama.

 

Teu corpo se constela de signos verdes,

renovos num corpo de árvore.

Não te importe tanta miúda cicatriz luminosa:

olha o céu e sua verde tatuagem de estrelas.

 

(Trad. Haroldo de Campos)

Biografia de Octávio Paz aqui.

Chamadas de 1ª página nos jornalis de hoje, sábado, 27.abr.13

O GLOBO – Lucrando menos: Produção da Petrobras cai 5%

J. DO COMMERCIO (PE) – Lucro líquido da Petrobras teve queda de 16,5%

FOLHA DE SP – Com produção menor, lucro da Petrobras recua 17%

C. BRAZILIENSE – Lucro da Petrobras cai 17%

ESTADÃO – Petrobras tem lucro 16,5% menor no 1º trimestre

ZERO HORA – Lucro da Petrobras cai 16,5% no início do ano

EST. DE MINAS – Petrobras lucra R$ 7,7 bilhões

Artigo

Brasileiros agredidos por  tenebrosas transações

MIRANDA SÁ (E-mail: mirandasa@uol.com.br)

Vou parodiar (e atualizar) Chico Buarque nos seus magistrais versos “Num tempo, página infeliz da nossa História,/ passagem desbotada na memória/ Das nossas novas gerações./ Dormia a nossa pátria mãe tão distraída/ sem perceber que era subtraída/ Em tenebrosas transações.”

Há alguma coisa mais aflitiva e indigna a aprovação de um projeto – de origem petista – para que as decisões do STF passem por crivo do Congresso? Se há um ‘terrorismo parlamentar’ contra as instituições republicanas, este é um deles.

Este terrorismo seria uma tragédia se não fosse a patuscada de verem-se os dois mensaleiros condenados pelo Supremo, José Genoíno e João Paulo Cunha, participando e votando nessa perfídia traiçoeira contra a República. 

É visível a tentativa da pelegagem no poder para implantar uma ditadura populista a partir da subtração dos poderes do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Ministério Público. Causando nojo e indignação aos cidadãos e cidadãs deste País.

Até um leigo em Direito pergunta-se: Pode uma Constituição democrática suportar conter no seu texto a submissão de um Poder pelo outro?

Essa pergunta não requer conhecimento histórico, nem a lembrança de Montesquieu de que numa República os poderes devem ser separados e iguais para que o poder freie o poder.

O autor d’ O Espírito das Leis (L’Esprit des lois), elabora conceitos sobre formas de governo até hoje reverenciadas pelos republicanos, e olhem que o seu livro foi publicado em 1748, fundido ao calor da Revolução Francesa.

Nem aos fanáticos obreiristas do lulo-petismo, desde que saibam ler, é fácil engolir essa afrontosa PEC, comestível apenas como uma resposta afrontosa pela condenação de deputados e da antiga cúpula do PT no caso do Mensalão. E cretinamente como um habeas corpus preventivo para o suspeito chefe da quadrilha, Lula da Silva.

Esta aleivosia tem o agravante condenado pelo PT no caso do impeachment do ex-presidente Lugo, no Paraguai: foi feita numa votação relâmpago e sem discussão, da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), controlada pelo partido.

Felizmente ainda há tempo de barrar esse ato doloso, astucioso e fraudulento, pois o texto feito nas coxas para entrar em vigor precisa passar pelos plenários da Câmara e do Senado e receber o voto de pelo menos 60% dos congressistas. E, honestamente, não é consensual entre parlamentares da base governista.

O presidente da Câmara, deputado Henrique Alves, por exemplo, considerou “inusitada” a decisão da CCJ aprovando a ilegítima PEC que enfraquece o STF. Com diplomacia, embora condenando, diz não crer que se trata de uma “retaliação” por causa das condenações no processo do mensalão. Pura vaselina…

Do outro lado, ministros da Alta Corte declaram que a proposta é “perniciosa”. Marco Aurélio de Mello disse que a medida “ressoa como uma retaliação”; e Gilmar Mendes, deu-me a inspiração do título deste artigo afirmando que o projeto “evoca coisas tenebrosas”…

Juristas de diversas escolas e tendências criticaram o projeto. Para Ives Gandra da Silva Martins, professor emérito da Universidade Mackenzie, o texto é um retrocesso…

Em verdade, não se trata apenas de ignorância dos patronos desse trambolho antidemocrático e antirepublicano. É o despudor reinante nas altas esferas do poder, onde a ocupanta da presidência da República faz o diabo para se reeleger, ferindo a legislação vigente fazendo a mais cínica campanha eleitoral antes do tempo.

À custa do contribuinte, Dilma faz viagens e comícios disfarçados de solenidades e intervém sem acanhamento na ação da base parlamentar governista em limitar o registro de novos partidos – por medo da entrada da ex-ministra Marina Silva no páreo presidencial.

O interessante é que a campanha sábia e séria seria administrar bem o País, e não deixar ao léu a Educação, a Saúde e a Segurança, como se vê. A melhor campanha era tirar a mentira do seu dicionário e não tentando convencer o vergonhoso pibinho, ou fazer promessas tresloucadas como as 6.424 creches, os 800 aeroportos e a sustentação da fraude lulista da transposição das águas do Rio São Francisco.

Enfim, a PEC dos Mensaleiros junta Lé com Cré: funde-se com o governo virtual que a propaganda bilionária impõe à nossa Pátria Mãe tão distraída.