Arquivos Mensais: janeiro 2013

Noticiário de interesse geral

Rio tem 49 espaços culturais sem alvará.

A prefeitura do Rio e o governo estadual têm 49 espaços culturais funcionando sem autorização do Corpo de Bombeiros. O Teatro Carlos Gomes, o maior sob gestão do município,está em situação irregular desde 2010. O secretário municipal de Cultura, Sérgio Sá Leitão, que pediu levantamento, se diz surpreso e admite que, na atual situação, não há garantia de que público esteja seguro;.afirmou ainda que toda a programação poderá ser suspensa, até a regularização dos equipamentos. O estado se comprometeu a começar vistorias segunda-feira. Ontem, os Bombeiros interditaram as boates 021 e Nuth Club, na Barra.

Cenário indica um Legislativo fraco no biênio

É preocupante a eleição dos nomes que o PMDB apresentou para presidir a Câmara e o Senado. Tanto o deputado Henrique Alves (RN) como o senador Renan Calheiros (AL), se eleitos, serão presidentes desgastados por denúncias de corrupção. Com isso, o Congresso será enfraquecido em relação aos outros dois Poderes, o que não é bom para o ambiente político e de negócios. O cenário à frente é o de um Executivo forte, graças aos índices de aprovação da presidente Dilma Rousseff. O mesmo se espera do Judiciário, comandado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que virou superministro após o julgamento do mensalão.

Governo eleva a 25% mistura de etanol na gasolina

O governo vai antecipar para 1º de maio o aumento da parcela de álcool misturada na gasolina de 20% para 25%, como forma de atenuar o impacto do reajuste dos combustíveis ao consumidor. A proposta, porém, está condicionada à elevação da oferta de etanol pelos usineiros. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que, com a medida, o reajuste na bomba deve ficar próximo de 4%. Edison Lobão (Minas e Energia) disse que aumentos abusivos nos postos serão fiscalizados “com rigor”.

Inflação bate aplicações financeiras

O comportamento das aplicações financeiras no primeiro mês do ano deu uma amostra de como vai ser difícil a vida do investidor em 2013. Sem o conforto dos juros altos e sem reação mais positiva da bolsa, o aplicador terá de arriscar mais para ter ganhos reais. Em janeiro, as opções tradicionais perdem feio da inflação. Segundo o boletim Focus, a inflação medida pelo IPCA vai encerrar o mês em alta de 0,85%, acima do ganho dos fundos Dl (0,62%) e das carteiras de renda fixa (0,60%), segundo estimativas da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.

Governo vê coincidências no câmbio

Parecia uma batalha campal entre o Banco Central e o Ministério da Fazenda, em torno da política cambial. Mas, no fim do dia de ontem, autoridades do governo buscaram dar outra interpretação aos fatos: teriam sido apenas algumas coincidências que insuflaram a interpretação de que Guido Mantega e Alexandre Tombini estavam em lados opostos.

Previsões para PIB americano ainda são boas

Prever recessão nos Estados Unidos porque a produção anualizada do quarto trimestre recuou 0,1% é mais ou menos como esperar chuva porque alguém jogou um balde de água pela janela. O consumo, o investimento e a construção mostraram solidez e colaboraram positivamente com 2,7 pontos percentuais para o PIB. Isso indica que as condições econômicas ainda são bastante positivas.

 

O “do contra” de Dilma e o “Ame-o ou deixe-o” de Médici

MIRANDA SÁ (E-mail: [email protected])

Eu achei a referência de Dilma aos ‘do contra’ muito parecida com aquela antipatriótica provocação do ditador Médici com o ‘ame-o ou deixe-o’… E neles encontrei um desmentido ao postulado de Euclides, com as linhas paralelas encontrando-se no infinito…

Nos bancos escolares quebrei a cabeça com a equação (x – y)² = 4 das retas paralelas, e depois de idoso, descobri que as paralelas se encontram politicamente, com Dilma e Médici dividindo o Brasil; ela com os seus partidários de um lado e os “do contra” do outro; ele, com o “Brasil, ame-o ou deixe-o”.

Ambos – Médici – que já morreu –, e Dilma – morta viva –, mostraram não serem estadistas na acepção dicionarizada de ‘estadista’: “pessoa de atuação notável nos negócios políticos e na administração de um País. Homem ou Mulher de Estado.”

Não é uma “Mulher de Estado”, ocupar uma cadeia de rádio e televisão para admoestar os brasileiros que a criticam, classificando-os “do contra”, acusando-os de alarmistas e de fazerem previsões sem fundamento…

O alarmismo, para a Presidente, é a crítica feita à sua equivocada política energética, e previsões sem fundamento são, na verdade, do seu incompetente governo dependendo de chuvas para garantir a produção das hidroelétricas.

Seguindo as desgastadas lições do mestre e guia Lula da Silva, Dilma repete-se em promessas para uso dos fanáticos do lulo-petismo, pois já não alcançam mais a mente embotada dos bolsistas.

Ela disse que constrói mais usinas e mais linhas de transmissão para elevar em 7% a produção de energia; e promete que a capacidade instalada irá dobrar nos próximos 15 anos. Gravem, 15 anos; mas não apresentou planilha de custos, nem organograma e nem o cronograma desse prognóstico marqueteiro…

Pior do que isto foi a impostura da baixa nas contas de luz, enchendo um bolso e esvaziando o outro, pois seremos nós, contribuintes, que pagaremos o prejuízo das operadoras…

Isto realça bem a relação que faço entre a Era Lulo-petista e a Ditadura Médici; são inúmeras as semelhanças e inquestionáveis. Se uma máquina do tempo nos levasse ao ‘milagre econômico’ da propaganda do general Médici, veríamos Delfim Neto prometendo concentração de renda para fermentar o ‘bolo’ a ser fatiado no futuro.

Outra parecença: naquela época houve crescimento econômico, uma média de 11%, que conquistou a admiração países capitalistas; igualzinho às realizações lulo-petistas alicerçadas pelo plano real num momento de bonança internacional.

A comparação Médici-Dilma é também notável nas promessas. Com o General esperou-se o bolo crescer; com a Presidente, tudo está sempre por vir, a extinção da miséria, o devaneio do pré-sal; as 20 mil creches, 800 aeroportos, 10 mil quadras esportivas, o Trem Bala, a Ferrovia Transnordestina, a Transposição do Rio São Francisco, etc. etc.

Tudo virtual, uma propaganda que empurra para adiante o socialismo dos pelegos. E ainda estamos com sorte porque o lulo-petismo ainda não alcançou uma das suas metas que o regime militar materializou: o controle dos meios de comunicação e das atividades culturais, punindo tudo e todos que desagradem o governo. Igualam-se sempre as ditaduras e os governos populistas, tratando a imprensa como inimiga.

Querem a censura para evitar críticas e denúncias. Silenciar o alarmismo para não informar que entre 2011 e 2012, nosso déficit em contas correntes passou de US$ 52,4 bilhões para US$ 54,2 bilhões; e que o resultado global do balanço de pagamentos caiu de US$ 58,6 bilhões para US$ 18,9 bilhões…

Como Médici fez, querem controlar jornais e disciplinar os jornalistas porque são ‘do contra’ revelando as mentiras de Lula, confirmadas por Dilma, sobre a quitação da dívida externa e a fraudulenta auto-suficiência do petróleo.

Eles nunca leram ou assistiram às peças do grande Oscar Wilde, que ensina: “Se alguém diz a verdade, pode estar certo de que será descoberto, mais cedo ou mais tarde”

 

 

 

Chamadas de 1ª página_5ª-feira, 31.jan.13

O GLOBO – Rio tem 49 espaços culturais sem alvará.

ESTADÃO – Presidente do PT acusa mídia e MPF de ação partidária

FOLHA DE SP – Alta da gasolina nos postos já supera reajuste do governo

C. BRAZILIENSE – Impunidade, a segunda tragédia

VALOR – PSB rejeita Renan com o aval de Eduardo Campos

ESTADO DE MINAS – Postos da capital elevam a gasolina em até 6%

J. DO COMMERCIO (PE) – Gasolina terá novo aumento em fevereiro

ZERO HORA – Gasolina sobe na Capital além do projetado

Jorge Benjor – Mas que nada

Mais sobre Jorge Benjor clique aqui.

Chamadas de 1ª página_4ª-feira, 30.jan.13

O GLOBO – Após a queda da luz… Gasolina sobe hoje na bomba

ESTADÃO – Petrobras reajusta gasolina em 6,6% a partir de hoje

FOLHA DE SP – Gasolina tem alta de 6,6% a partir de hoje nas refinarias

C. BRAZILIENSE – Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nos postos

VALOR – Gasolina sobe, mas defasagem vai continuar

ESTADO DE MINAS – Gasolina sobe hoje 6,6% e o diesel, 5,4%

J. DO COMMERCIO (PE) – Petrobras reajusta gasolina e diesel

ZERO HORA – Gasolina aumenta 6,6% nas refinarias, anuncia Petrobras

Tom Jobim – Samba do avião

Chamadas de 1ª página_3ª-feira, 29.jan.13

O GLOBO – Gleisi pede abertura de processo contra Rosemary

ESTADÃO – Fifa diz que não admitirá mais atrasos em estádios

FOLHA DE SP – Boate estava superlotada na noite da tragédia no RS

C. BRAZILIENSE – Uma boate perigosa em cada esquina do Brasil

VALOR – Por inflação, BC volta a agir no câmbio

ESTADO DE MINAS – Minas teve 1.196 mortes em BRs no ano passado

J. DO COMMERCIO (PE) – Cresce pressão contra Renan no Congresso

ZERO HORA – Falhas e erros banais causaram tragédia

Itamar Assumpção canta Paulo Leminsky

 

Noticiário de interesse geral

Descaso mata 231 jovens no Sul

Uma sucessão de erros e falhas na segurança resultou na segunda maior tragédia provocada por incêndios já registrada na História do país. Foram pelo menos 231 mortos, em sua maioria jovens que participavam de uma festa organizada para estudantes da Universidade Federal de Santa Maria na boate Kiss, em Santa Maria (RS).

O estabelecimento, com plano de prevenção de incêndio vencido e lotada de universitários, pegou fogo após músico usar efeitos pirotécnicos no palco. Ao tentar escapar, estudantes encontraram a única saída bloqueada por seguranças O fogo começou às 2h30m da madrugada, quando a banda Gurizada Fandangueira se apresentava e fez uso de efeitos pirotécnicos. As chamas começaram a se espalhar pelo teto. A primeira tentativa de combate ao fogo não deu certo porque o extintor não funcionava. A fumaça espessa provocou pânico.

Prefeitos vão a Dilma sem poder fazer convênios

Prefeitos de todo o país são esperados em Brasília de hoje a quarta-feira, para conhecer parcerias possíveis com o governo federal. Mas 3.588 municípios brasileiros (64,4% do total) e 594 em Minas (69,9%) estão impedidas de celebrar convênios com a União, por não comprovar aplicações de verbas.

Oposição muda estratégia para tentar influir

Uma oposição 34% menor na Câmara e 50% no Senado, mas mais eficiente. Esse é o retrato do que ocorreu com os partidos que se opõem ao governo dez anos depois de o Partido dos Trabalhadores chegar à Presidência da República. O partido de esquerda que chegou ao governo com uma coalizão minoritária, em ambas as Casas do Parlamento, ampliou sua base, seja pelo voto ou pela cooptação, e está prestes a formar o maior – embora não necessariamente mais coeso – bloco de apoio desde que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou a ocupar o Palácio do Planalto, em janeiro de 2003.

Estados reduzem esforço fiscal para investir

A menor contribuição dos Estados ao resultado primário de 2012 já havia sido sinalizada pelos governos estaduais nas leis de diretrizes orçamentárias. Entre os dez Estados de maior arrecadação, cinco – Rio, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Goiás – indicaram nos orçamentos para 2012 metas menores do que as de 2011. Entre os dez Estados, sete já apresentavam resultados piores até outubro do ano passado em relação ao mesmo período do ano anterior. O menor superávit primário no acumulado até outubro foi em parte resultado de um crescimento maior das despesas correntes – de pessoal e custeio – em relação ao das receitas correntes. Isso aconteceu em nove dos dez Estados pesquisados. Em alguns deles – Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Pernambuco e Paraná – os investimentos liquidados no período tiveram elevação maior que a das receitas.

Audios mostram ligação entre máfia dos pareceres e o poder

Áudios de 25.012 telefonemas captados pela PF na Operação Porto Seguro revelam bastidores da máfia dos pareceres. Os diálogos de Rose Noronha, Paulo Vieira e do ex-senador Gilberto Miranda estão no portal estadão.com.br. As escutas apontam conluios e troca de favores envolvendo autoridades. Paulo e Rose tratam de assuntos do PT. Também gravado, o advogado-geral Luís Inácio Adams reagiu com cautela quando seu adjunto, José Weber Holanda, falou sobre a operação.

Obras atraem construtoras estrangeiras

A depressão da economia europeia faz com que construtoras estrangeiras desembarquem no Brasil para disputar negócios. Interessadas em obras previstas para este e os próximos anos, elas já somam contratos superiores a R$ 10 bilhões. As empresas mais ativas são espanholas.

Mané Garrincha, conta que não fecha

Auditoria do Tribunal de Contas do DF achou distorção de R$ 212,3 milhões, na construção do Estádio Mané Garrincha, em Brasília, revela Vanildo Mendes. O preço por assento, R$ 16,938 é mais que o dobro do Castelão, em Fortaleza, o de menor custo.

MG: Municípios de olho no dinheiro do pedágio

Com a concessão das BRs 040 (de Brasília a Juiz de Fora) e 116 (trecho mineiro da Rio-Bahia), as projeções são de que os motoristas pagarão R$30 bilhões em pedágios nos próximos 25 anos. Parte da arrecadação vai para os municípios cortados pelas estradas, sob a forma de ISS. Para muitos será a segunda maior fonte de renda, depois do fundo de participação. Simão Pereira, que fica na parte já privatizada da 040 na Zona da Mata, recebeu no ano passado R$ 1,1 milhão do pedágio, 8,6% de sua receita total de R$ 12,8 milhões.

Aplicação no exterior ganha força entre os investidores

A diversificação de investimentos pessoais com aplicações no exterior ganhou força em 2012 e especialistas acreditam que essa opção terá interesse crescente ao longo do ano. Com a perspectiva de que o juro básico se manterá em níveis baixos por um bom tempo e a escassez de oportunidades na bolsa brasileira – sem novas estreantes e com as companhias preferidas dos gestores consideradas caras -, cresce a busca por ganhos no mercado internacional. Um movimento que vale para todos os tipos de investidores, individuais e institucionais, e que, segundo executivos, se acelerou de forma relevante nos últimos meses.

 

Tragédia em Santa Maria

Morri em Santa Maria hoje. Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça./A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta./Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa. /A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27dejaneiro de 2013. /As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada. /Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa. / Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio. /Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda. /Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência. /Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa. / Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram. / Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo? / O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista./A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados. / Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro. / Mais de duzentos e trinta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos. / Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal. / As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso. /Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu. /As palavras perderam o sentido. (Fabrício Carpinejar, poeta gaúcho)