Arquivo do mês: dezembro 2012

Sylvia Plath – Espelho

ESPELHO

      

Sou prateado e exato. Não tenho preconceitos.
Tudo o que vejo engulo no mesmo momento
Do jeito que é, sem manchas de amor ou desprezo.
Não sou cruel, apenas verdadeiro —
O olho de um pequeno deus, com quatro cantos.
O tempo todo medito do outro lado da parede.
Cor-de-rosa, malhada. Há tanto tempo olho para ele
Que acho que faz parte do meu coração. Mas ele
[ falha.
Escuridão e faces nos separam mais e mais.

Sou um lago, agora. Uma mulher se debruça
[ sobre mim,
Buscando em minhas margens sua imagem
[ verdadeira.
Então olha aquelas mentirosas, as velas ou a lua.
Vejo suas costas, e a reflito fielmente.
Me retribui com lágrimas e acenos.
Sou importante para ela. Ela vai e vem.
A cada manhã seu rosto repõe a escuridão.
Ela afogou uma menina em mim, e em mim uma velha
Emerge em sua direção, dia a dia, como um
[ peixe terrível.

 

 Tradução: Rodrigo Garcia Lopes e Maurício A. Mendonça

 

Governo só libera 18% da verba para o São Francisco

Ministério da Integração Nacional diz que obras de transposição sofreram com licitações canceladas

O Ministério da Integração Nacional só desembolsou, até 20 de dezembro, 18% do orçamento de 2012 para a transposição do Rio São Francisco, maior obra do PAC no Nordeste. Com isso, o cronograma começou a ser afetado. O trecho piloto, previsto para entrar em funcionamento este mês, pode ficar para 2014. O ministério atribui o fato a contratos que tiveram de ser rescindidos, criando a necessidade de abertura de novas licitações, algumas das quais só devem ficar prontas em março. Dos R$ 940 milhões previstos para este ano, o governo gastou somente R$ 173 milhões. A obra recebeu, ainda, dinheiro dos restos a pagar de anos anteriores no valor de R$ 501 milhões. Mesmo entrando 2013 com restos a pagar de R$ 1,4 bilhão, o governo federal embutiu na MP 598, editada para contornar o fato de o Orçamento ainda não ter sido votado pelo Congresso, o empenho de R$ 419,2 milhões em créditos extraordinários para serem gastos na obra a partir do início do ano. (Estadão)

Novo corregedor será mais rigoroso com juízes

Fim de patrocínios privados e jornada de 5 dias serão cobrados

O corregedor nacional de Justiça, ministro Francisco Falcão, decidiu aumentar a fiscalização sobre o expediente dos magistrados e combater os chamados juízes TQQ – que aparecem nas comarcas para trabalhar apenas às terças, quartas e quintas-feiras. Ele também apresentará ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) uma resolução proibindo o patrocínio de empresas privadas a eventos do Judiciário, prática comum em congressos da magistratura. Falcão vai ainda acelerar o julgamento de juízes acusados de desvio de conduta. (O Globo)

Chamadas de 1ª página_2ª-feira,31.dez.12

O GLOBO – Corregedor será mais rigoroso com juízes

FOLHA DE SP – ‘Ponho as mãos no fogo por Lula’, afirma Haddad

ESTADÃO – Governo só libera 18% da verba para o São Francisco

C. BRAZILIENSE – Novo pacto federativo pode unir PSDB e PSB

ESTADO DE MINAS – Ações tentam recuperar R$ 70 milhões desviados

J. DO COMMÉRCIO (PE) – Governo vai mudar as regras do PAC

ZERO HORA – Tarifas subiram mais do que o dobro da inflação

Elizabeth Barrett Browning – Sonetos de Amor

SONETO XIV


Ama-me por amor do amor somente
Não digas: «Amo-a pelo seu olhar,
O seu sorriso, o modo de falar
Honesto e brando. Amo-a porque se sente

Minh’alma em comunhão constantemente
Com a sua.» Porque pode mudar
Isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
Do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
De tuas mãos enxuga, pois se em mim
Secar, por teu conforto, esta vontade

De chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
Me hás de querer por toda a eternidade.

  Tradução: Manuel Bandeira 

Chamadas de 1ª página_Domingo,30.dez.12

O GLOBO – Dilma: metade das promessas ainda no papel

FOLHA DE SP – Brasil prepara plano para atrair mão de obra de fora

ESTADÃO – Consumidor dá calote recorde de R$ 44 bilhões

C. BRAZILIENSE – País inseguro e com saúde fragilizada

ESTADO DE MINAS – Dilma diante de problemas gigantes                                                                               

J. DO COMMÉRCIO (PE) – UPAs estão perdendo o encanto

ZERO HORA – O mercado de armas que abastece o crime

Emily Dickinson – Noites Loucas

Noites Loucas — Noites Loucas!

Estivesse eu contigo

Noites Loucas seriam

Nosso luxuoso abrigo!

 

Para Coração em porto —

Ventos — são coisas fúteis —

Bússolas — dispensáveis —

Portulanos — inúteis!

 

Navegando em pleno Éden —

Ah, o Mar!

Quem dera — esta Noite — em Ti

Ancorar!

 

 

              Tradução: Paulo Henriques Britto

Descaso na gestão pública: Prefeitos não reeleitos deixam caos em cidades

Pelo país, Ministério Público cobra na Justiça que prefeituras mantenham pagamentos em dia e cumpram contratos de coleta de lixo e outros serviços

Às vésperas da posse dos novos prefeitos, a população de muitas cidades brasileiras convive com o caos: gestores que não foram reeleitos ou não fizeram sucessores atrasam salários e deixam de prestar serviços. Em capitais como Recife, Natal, Manaus e Teresina, e cidades das regiões metropolitanas de Rio e São Paulo, o atraso na coleta de lixo virou pesadelo. Também há casos de falta de atendimento médico. Em alguns estados, o Ministério Público foi à Justiça para garantir que prefeituras mantenham pagamentos em dia, serviços e contas em ordem. Segundo o presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público, Cesar Mattar, ações por improbidade administrativa crescem de modo assustador. (O Globo)

Chamadas de 1ª página_Sábado,29.dez.12

O GLOBO – Prefeitos não releitos dexam caos em cidades

FOLHA DE SP – Governo tenta afrouxar lei que disciplina gasto público

ESTADÃO – Dilma tem 1º déficit de contas públicas

C. BRAZILIENSE – Acesso lento ao resultado do Enem

ESTADO DE MINAS – Estados não produtores têm estratégia contra veto

J. DO COMMÉRCIO (PE) – Seca destrói projeto de piscicultura

ZERO HORA – MP denuncia policial por ameaçar juíza gaúcha

Charles Baudelaire

EMBRIAGUEM-SE

 

É preciso estar sempre embriagado. Aí está: eis a única questão. Para não sentirem o fardo horrível do Tempo que verga e inclina para a terra, é preciso que se embriaguem sem descanso.

 

Com quê? Com vinho, poesia ou virtude, a escolher. Mas embriaguem-se.

 

E se, porventura, nos degraus de um palácio, sobre a relva verde de um fosso, na solidão morna do quarto, a embriaguez diminuir ou desaparecer quando você acordar, pergunte ao vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a tudo que canta, a tudo que fala, pergunte que horas são; e o vento, a vaga, a estrela, o pássaro, o relógio responderão: “É hora de embriagar-se! Para não serem os escravos martirizados do Tempo, embriaguem-se; embriaguem-se sem descanso”. Com vinho, poesia ou virtude, a escolher.