Arquivo do mês: julho 2012

Dvorak – New World Symphony – Primeira Parte/Quarto Movimento

Greve deixa Via Dutra refém de caminhoneiros

Ministro se reúne hoje com categoria, enquanto estrada permanece bloqueada

Interdição total durante 6 horas provocou o caos e 21km de congestionamentos na principal rodovia do país. Caminhões com cargas perecíveis continuam sem poder passar, ameaçando o abastecimento do Rio

O impasse entre o governo federal e os caminhoneiros contrários às novas regras de descanso nas jornadas chegou à mais movimentada estrada do país, a Via Dutra, instalando o caos e 21km de congestionamentos. Das 4h às 10h de ontem, nem ambulâncias passavam pelo bloqueio montado em Barra Mansa pelos grevistas. O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, se reunirá hoje com representantes da categoria. A passagem está liberada, mas somente a ônibus e carros de passeio, além de veículos de serviço. Um caminhão que tentou furar o bloqueio teve o para-brisa atingido por uma pedra. No início da noite, ainda havia 5 mil caminhões encostados ao longo da rodovia, muitos deles com cargas perecíveis. Vários postos da PRF estão fechados: o sindicato dos policiais alega falta de efetivo. (O Globo)

Chamadas de 1ª página_3ª-feira,31.jul.12

O GLOBO –  Impasse deixa Via Dutra refém de caminhoneiros

FOLHA DE SP – Supremo se articula para evitar atraso no mensalão

ESTADÃO – Com apoio de Lula, Toffoli decide julgar o mensalão

C. BRAZILIENSE – Dilma suspende conversa com sindicalistas

VALOR – Mensalão atrasa julgamento de causas bilionárias

ESTADO DE MINAS – Musa da CPI é acusada de chantagem

J. DO COMMERCIO (PE) – Dúvida sobre participação de Toffoli

ZERO HORA – Obras para a Copa estão 65% mais caras

Pablo de Sarasate – IDA HAENDEL

Artigo temático: O Mensalão

Mensaleiros: Um balaio de gatos (ou ninho de ratos?)

MIRANDA SÁ (E-mail: mirandasa@uol.com.br)

 

Às vésperas do esperado julgamento do Mensalão, assiste-se uma mistura desordenada de pessoas, versões contraditórias, troca de acusações e pressões sobre o Supremo Tribunal Federal. Os mensaleiros no STF parecem um balaio de gatos, ou ninho de ratos?

Vê-se uma verdadeira barafunda entre os 38 réus, diferentes entre si pela origem e participação no caso; e até uma curiosidade: na quadrilha existem quinze mineiros, destacando-se José Dirceu – o ‘chefe da organização criminosa’, Marcos Valério – o catalisador do dinheiro público, e Kátia Rabelo – a banqueira. E na história, são dois os bancos das Minas Gerais, o Banco Rural e o Banco BMG.

A partir de quinta-feira, quando os mensaleiros presumivelmente adentrarem no plenário do Supremo Tribunal Federal, em pessoa ou por meio dos seus advogados, assistiremos uma ‘canibalização’ entre eles, no dizer do jornalista Carlos Chagas.

O experiente jornalista Chagas acha que será “fascinante assistir no plenário do STF a troca de acusações que os mensaleiros antecipam através da mídia”, e diz que no fundo eles estão colaborando com o Ministério Público.

Atores como o ex-deputado Roberto Jefferson – fortalecido politicamente elegendo-se presidente do PTB – mostra-se disposto a jogar barro no ventilador. Em declarações prestadas à imprensa diz que ‘foi um equívoco deixar Lula fora do processo’ e que “se tentarem politizar esse julgamento, Lula vai pagar a conta. Vou à tribuna do Supremo”. De outro lado, encontra-se Delúbio Soares, elogiado pela juventude petista como ‘guerreiro do povo brasileiro’. O ex-tesoureiro do PT está disposto a assumir a coordenação da arrecadação do dinheiro ilegal e da sua distribuição aos parlamentares da base aliada e alguns hierarcas do próprio partido. Justifica, porém, que eram pagamentos de custos de campanha, sem relação com o que chama de “falacioso mensalão”.

Não foi uma iniciativa pessoal de Delúbio chamar a si toda a responsabilidade sobre a conta do Mensalão, livrando os demais companheiros do partido e afastando completamente da cena o ex-presidente Lula da Silva. Assim, ele cumpre a tarefa do “núcleo central da quadrilha”, conforme expressão do Procurador-Geral da República, na peça enviada ao STF.

A articulação desta tática coube ao ex-ministro José Dirceu, apontado como “chefe da organização criminosa” e ao ex-presidente do PT José Genoino, de comum acordo com o próprio Delúbio. O desdentado agitador goiano vai ao sacrifício para salvar o ex-presidente.

Nada disso foi inventado por mim. Está nos jornais diários ao alcance de quem quiser. E tudo é verdade. Antes mesmo de ser iniciado o julgamento, aparecem acusações de todos e para todos. Até o publicitário Duda Mendonça, sempre discreto, já deitou falação própria ou através do seu advogado.

No meio do tiroteio (o chamado ‘fogo amigo’), encontra-se o próprio Lula, ainda fora do processo, o que explica as suas intervenções em defesa dos mensaleiros.

Quem olha de fora tem muitas perguntas a fazer sobre situações anuviadas pela desinformação ou pelo silêncio. Uma delas vai ao encontro da estratégia petista encarnada por Delúbio: As mensalidades de 30 mil reais eram mesmo para pagar dívidas de campanha ou para garantir votos para o governo?

E ao comandante-em-chefe da operação, José Dirceu, pede-se para esclarecer a origem do dinheiro; era desviado do superfaturamento de publicidades do Banco do Brasil? Quanto a José Genoíno, precisa dizer se monitorava a operação ou se foram feitas à sua revelia…

Finalmente, em todas as cabeças está à indagação direta para Lula. Afinal, ele sabia ou não sabia do que se passava na sala ao lado da sua?  Na época, lembro-me bem, Lula foi apontado como ‘principal operador do mensalão’. E então ele pediu desculpas à Nação pela ignomínia dos companheiros, demitiu Dirceu e afastou Genoíno e Delúbio da direção do PT.

Importação de gasolina cresce 300% em 5 meses

Enquanto o consumo de combustível aumenta, a produção de etanol cai e a de gasolina fica estagnada

Sem etanol suficiente para abastecer o mercado e com produção de gasolina estagnada, o Brasil foi obrigado a elevar a importação de combustíveis. De janeiro a maio, o volume de gasolina importada cresceu 315%, chegando a US$ 1,4 bilhão, e já faltam tanques para estocagem. No ano passado, as importações haviam crescido 332%. Para especialistas, o ritmo de compras externas deve continuar em alta pelo menos até o ano que vem. A solução do problema depende da entrada em operação de refinarias da Petrobras, que estão atrasadas, e de uma saída para a crise do etanol. Na safra 2011/2012, a produção recuou 17%. O Brasil tinha a expectativa de virar fornecedor mundial, mas hoje é importador. Enquanto isso, o consumo de gasolina não parou de crescer. Subiu 19% em 2011 e mais 11% este ano. (Estadão)

Legislativos estaduais escondem seus salários

Assembleias burlam a lei que exige publicação de informações na internet

Prevista pela Lei de Acesso à Informação, em vigor há dois meses, a divulgação de salários de servidores não é cumprida de forma transparente pelos Legislativos nos Estados e no DF.

Nenhuma das 26 Assembleias estaduais nem a Câmara do Distrito Federal publicam no mesmo arquivo de seus sites os nomes de todos os servidores e os seus respectivos vencimentos. (Folha de S. Paulo)

Um julgamento para a história – ‘Há provas para condenar os réus do mensalão’

Para autor da denúncia no Supremo, esquema incluía rede para cometer crimes

Antônio Fernando de Souza afirma que processo tem, mais que indícios, confirmação dos ilícitos apontados e elementos suficientes para levar pelo menos os principais acusados à condenação; julgamento começa na quinta

Seis anos depois de ter enviado ao Supremo Tribunal Federal a denúncia do mensalão, o ex-procurador Antonio Fernando de Souza diz não ter dúvidas de que existem provas dos crimes apontados e elementos para condenar pelo menos os principais acusados. “Eram provas, não eram apenas indícios, que foram corroboradas depois com laudos periciais. A instrução provou muita coisa” afirma o ex-procurador, para quem a “sofisticada organização criminosa” do mensalão ia além do pagamento de mesada: incluía uma rede para cometer crimes como peculato, corrupção ativa e passiva. Sobre o ministro do STF Dias Toffoli, cuja companheira atuou na defesa de um dos réus, Antonio Fernando, falando em tese, diz que o marido não pode decidir causas em que a mulher tenha sido advogada ou parte. (O Gobo)

Chamadas de 1ª página_2ª-feira,30.jul.12

O GLOBO –  ‘Há provas para condenar os réus do mensalão’

FOLHA DE SP – Valério e outros 3 do mensalão já têm condenações

ESTADÃO – Defesa de Dirceu vai negar existência do mensalão

C. BRAZILIENSE – Réus do mensalão negam formação de quadrilha

VALOR – “Julgamento colocará Poder Judiciário em xeque”

ESTADO DE MINAS – Seca histórica faz água virar moeda eleitoral

J. DO COMMERCIO (PE) – Mensalão: ato de olho no STF

ZERO HORA – Planalto muda a tática para reativar economia

Gluck – Minueto e Dança dos Espíritos Abençoados