Arquivos Mensais: março 2012

Sylvia Plath

A CHEGADA DA CAIXA DE ABELHAS

 

Encomendei esta caixa de madeira

Clara, exata, quase um fardo para carregar.

Eu diria que é um ataúde de um anão ou

De um bebê quadrado

Não fosse o barulho ensurdecedor que dela escapa.

 

Está trancada, é perigosa.

Tenho de passar a noite com ela e

Não consigo me afastar.

Não tem janelas, não posso ver o que há dentro.

Apenas uma pequena grade e nenhuma saída.

 

Espio pela grade.

Está escuro, escuro.

Enxame de mãos africanas

Mínimas, encolhidas para exportação,

Negro em negro, escalando com fúria.

 

Como deixá-las sair?

É o barulho que mais me apavora,

As sílabas ininteligíveis.

São como uma turba romana,

Pequenas, insignificantes como indivíduos, mas meu deus, juntas!

 

Escuto esse latim furioso.

Não sou um César.

Simplesmente encomendei uma caixa de maníacos.

Podem ser devolvidos.

Podem morrer, não preciso alimentá-los, sou a dona.

 

Me pergunto se têm fome.

Me pergunto se me esqueceriam

Se eu abrisse as trancas e me afastasse e virasse árvore.

Há laburnos, colunatas louras,

Anáguas de cerejas.

 

Poderiam imediatamente ignorar-me.

No meu vestido lunar e véu funerário

Não sou uma fonte de mel.

Por que então recorrer a mim?

Amanhã serei Deus, o generoso – vou libertá-los.

 

A caixa é apenas temporária.

 

(tradução de Ana Cândida Perez e Ana Cristina César )

Artigo analítico de fim de semana

POR cima da enxurrada, as eleições veem ai

 MIRANDA SÁ (E-mail: [email protected])

 

A enxurrada de desmandos e malfeitos que se arrasta no caudal da política brasileira faz muita gente esquecer que as eleições veem aí, com importância de ser – de certa maneira – plebiscitárias. A chamada ‘classe política’, porém, está de olho no eleitorado, e o lulo-petismo, está mais preocupado do que as outras correntes partidárias.

Sente-se claramente que a hierarquia petista está inquieta, e com razão. Sendo o PT um partido formado na base do culto à personalidade de Lula, e tendo este a visão de que o grande salto do partido é a conquista da Prefeitura de São Paulo, cria uma situação de risco.

O pior de tudo é que Lula, sendo o centro das decisões, impôs a candidatura alienígena de Fernando Haddad no campo que considera propício para o duelo político básico entre o seu partido e as oposições.

A intelectualidade uspeana lulo-petista teme o embate. E com razão, pois Haddad não somente tem uma presença raquíticaem São Paulo, como apresenta a insegurança dos visíveis erros cometidos no Ministério da Educação.

No âmbito interno do partido a fragmentação é visível, e, podem crer, a militância histórica – que não correu para ocupar cargos no governo federal – está perdendo a fé no ‘Chefe’. Isto é tão real que os lulo-petistas correm a lançar (nos porões) a campanha ‘Volta Lula!’, tentando reanimar os descontentes.

A palavra-de-ordem ‘Volta Lula!’ tem, porém, um senão: cria nova divisão entre os que estão chegados à Dilma e esperam que a popularidade dela influencie suas eleições ou reeleições.

Pelo resto do Brasil – deixado de lado na estratégia do ‘Chefe’ – o pragmatismo das bases leva a alianças estapafúrdias, inclusive com o arquiinimigo dele, o DEM…  Na verdade, sem a militância que dantes ocupava as ruas – hoje quase toda aparelhada nos sistema governamental – as direções estaduais estão entregues a alguns poucos.

E fora de Brasília, e de São Paulo, posto como epicentro da disputa eleitoral, o PT se aburguesou e enrolou as bandeiras reivindicatórias dos movimentos populares. Cede lugar às pequenas, mas aguerridas militâncias do PSTU e do PSOL. Até o nanico PCB já aparece nos protestos de rua…

Enfim, vê-se o lulo-petismo desarvorado. Dilma enfrenta crises parlamentares com os aliados e a própria bancada do PT. Considera os embates no Congresso “questiúnculas”, menosprezando a reação contra seu estilo de governar e contra seus interlocutores.

Também perdeu em qualidade a representação congressual. As caras novas que renovaram a Câmara e o Senado são muito fracas, tanto do ponto de vista intelectual como da formação ideológica. Assim, o que se vê entre os congressistas é uma carreira desabalada para ajudar candidatos a prefeito e a vereador dos seus mapas eleitorais.

Ninguém se lembra, no Executivo e no Legislativo, em discutir os rumos do País; nem parar para analisar o crescimento da corrupção no aparelho de estado. S’esquecem que nenhum deles, ministros, senadores, deputados e secretários estão livres de uma investigação. E cair de podre.

Os do poder não se preocupam, também, em ver a situação econômica, mesmo alardeado o pífio crescimento de 2,7% no PIB, que deixa o Brasil atrás da Argentina, com 8,8%, e do Peru, Chile, Colômbia e Uruguai, que cresceram a taxas duas vezes maiores que a brasileira.

Finalmente, os menos informados dos brasileiros estão descobrindo as mentiras cabeludas de Lula e sua trupe. A mais sentida delas foi a impostura da auto-suficiência do petróleo como ufanismo eleitoral que deu certo…

O que se vê é a Petrobras importando mais petróleo e pretendendo reajustar os preços dos combustíveis. Além disso, procurando esconder a projeção de que a importação da gasolina vai quadruplicar em relação ao ano passado.

Diante disso, são estes os grandes eleitores deste ano: A corrupção, a luta interna do PT, o personalismo de Lula, as vacilações de Dilma, a fraqueza da oposição, e a carestia de vida representada no aumento dos combustíveis…

Ex-ministro petista critica “malfeito” no caso da Pesca

Para Luiz Sérgio, ministério não pode pedir a empresa contratada doação ao PT, como fez na campanha de Ideli

Sucessor de Ideli Salvatti na Pesca, o deputado petista Luiz Sérgio classificou de “malfeito” a ação do ministério de cobrar dinheiro para o PT de Santa Catarina de uma empresa contratada pelo governo federal, como revelou ontem o Estado. A Intech Boating, que forneceu por R$ 31 milhões lanchas-patrulha para a pasta e doou R$150 mil ao comitê do PT que bancou parte da candidatura de Ideli ao governo catarinense em 2010. O Tribunal de Contas da União considera o contrato suspeito. A petista é hoje ministra de Relações Institucionais. “Não é função de ministério arrecadar dinheiro para candidaturas ou partidos”, disse Luiz Sérgio. Segundo ele, as lanchas estavam paradas havia mais de um ano quando assumiu o ministério. “É evidente que isso demonstra que houve erro.” (Estadão)

Todos os novos PMs do Rio farão estágio na Rocinha

Até instalação da UPR favela servirá de treinamento para recrutas

Enquanto a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) não chega, a Rocinha ganhará status de Área de Estágio Prático-Operacional, servindo de treinamento para todos os recrutas da PM, egressos do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças. Na próxima sexta-feira, a comunidade – a primeira em processo de pacificação a enfrentar disputas entre traficantes por pontos de vendas de drogas, com sete assassinatos só neste trimestre – terão o efetivo de PMs dobrado, de 350 para 700, todos recém-formados. A estratégia de concentrar na Rocinha os novos policiais, segundo o comando da PM, visa a agilizar o combate ao crime na favela, a maior da Zona Sul do Rio. Segundo especialistas ouvidos pelo GLOBO, por trás das resistências do tráfico está a disputa pelos mais lucrativos pontos de venda de drogas do estado, com faturamento estimado em R$ 1 milhão por mês, no vazio deixado pela prisão de Nem às vésperas da ocupação. (O Globo)

Senador atuou em prol de acusado de contravenção

Investigação revela que Demóstenes ajudou Cachoeira no Congresso e no Governo

Investigação feita pela PF indica que Demóstenes Torres (DEM-GO) usou o cargo de senador para atender a interesses do empresário Carlinhos Cachoeira preso sob a acusação de explorar jogos ilegais no Congresso e no governo federal.

O congressista defendeu pessoalmente na Anvisa as demandas de um laboratório que a polícia diz ser de Cachoeira e acertou com ele ajuda em um projeto de legalização de jogos de azar e em um processo judicial, como revelam escutas da PF.

Em outro grampo, o empresário pediu a Demóstenes para barrar o depoimento de um amigo empreiteiro. No Senado, a cassação do parlamentar, ameaçado de expulsão pelo DEM, é dada como certa caso seja investigado pelo Conselho de Ética. (Folha de SP)

Chamadas de 1ª página_31.mar.12

O GLOBO – Importação de gasolina bate recorde

FOLHA DE SP – Stepan Nercessian recebeu R$175 mil de Cachoeira

ESTADÃO – Ex-ministro petista critica “malfeito” no caso da Pesca

C. BRAZILIENSE – Protesto nas ruas e nas redes sociais

ESTADO DE MINAS – Geisel admitiu que Herzog foi morto por militares

JORNAL DO COMMERCIO – Ideli nega relação com empresa

ZERO HORA – DEM discute expulsão de Demóstenes

William Butler Yeats

A ROSA DO MUNDO

 

Quem sonhou que a beleza passa como um sonho?

Por estes lábios vermelhos, com todo o seu magoado orgulho,

Tão magoados que nem o prodígio os pode alcançar,

Tróia desvaneceu-se em alta chama fúnebre,

E morreram os filhos de Usna.

 

Nós passamos e passa o trabalho do mundo:

Entre humanas almas que se agitam e quebram

Como as pálidas águas e seu fluxo invernal,

Sob as estrelas que passam, sob a espuma do céu,

Vive este solitário rosto.

 

Inclinai-vos, arcanjos, em vossa incerta morada:

Antes de vós, ou de qualquer palpitante coração,

Fatigado e gentil alguém esperava junto ao seu trono;

Ele fez do mundo um caminho de erva

Para os seus errantes pés.

 

(tradução: José Agostinho Baptista)

Senador fazia lobby para bicheiro, revela gravação

Demóstenes e Cachoeira se chamavam de ‘Doutor’ e ‘Professor'; STF quebra sigilo

Gravações da Polícia Federal feitas ao longo de 2009 e obtidas pelo GLOBO mostram que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) pôs seu mandato a serviço dos negócios de Carlinhos Cachoeira, que está preso pela exploração de jogos de azarem Goiás. Nosdiálogos, Demóstenes, que trata Cachoeira de “Professor” e por ele é chamado de “Doutor”, acerta com o contraventor táticas que vão da interferência em processo judicial ao lobby no Congresso pela legalização do jogo. As conversas desmascaram o senador, que sempre alegou desconhecer atividade ilícita do amigo. Em um dos diálogos, no qual Cachoeira pede a Demóstenes para ver um projeto de lei que transforma contravenção em crime, o senador o alerta: “Então, inclusive te pega, né?!” Ontem, o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, autorizou a quebra de sigilo bancário de Demóstenes. (O Globo)

Chamadas de 1ª página_30.mar.12

O GLOBO – Governo congela nomeação de servidor

FOLHA DE SP – STF manda quebrar sigilo bancário de Demóstenes

ESTADÃO – Pesca contrata empresa e cobra doação ao PT

C. BRAZILIENSE – Erenice volta e mostra prestígio

VALOR ECONÔMICO – Críticas à política fiscal brasileira

ESTADO DE MINAS – OEA vai investigar caso Herzog

JORNAL DO COMMERCIO – Lei da Copa deixa a cúpula da Fifa irritada

ZERO HORA – STF quebra sigilo bancário de senador

Vladimir Maiakóvski

BLUSA FÁTUA

 

Costurarei calças pretas

com o veludo da minha garganta

e uma blusa amarela com três metros de poente.

pela Niévski do mundo, como criança grande,

andarei, donjuan, com ar de dândi.

 

Que a terra gema em sua mole indolência:

“Não viole o verde de as minhas primaveras!”

Mostrando os dentes, rirei ao sol com insolência:

“No asfalto liso hei de rolar as rimas veras!”

 

Não sei se é porque o céu é azul celeste

e a terra, amante, me estende as mãos ardentes

que eu faço versos alegres como marionetes

e afiados e precisos como palitar dentes!

 

Fêmeas, gamadas em minha carne, e esta

garota que me olha com amor de gêmea,

cubram-me de sorrisos, que eu, poeta,

com flores os bordarei na blusa cor de gema!

 

(tradução:  Augusto de Campos)