Arquivos Mensais: setembro 2011

Nina Simone – My Way

BC prevê PIB em baixa e inflação alta

Estimativa é que índice de preços chegue a 6,4%, perto do teto, e que economia cresça 3,5%, ante 4% em previsão anterior

Um mês depois de surpreender o mercado com um corte na taxa básica de juros, o Banco Central informou em relatório trimestral divulgado ontem que espera mais inflação e menos crescimento econômico neste ano, principalmente em razão da queda na atividade industrial e da moderação nas vendas no varejo. O BC elevou a projeção de inflação neste ano de 5,8% para 6,4%, muito próximo do limite Maximo estabelecido para 2011, de 6,5%. O risco de estourar a meta “sempre existe”, disse o diretor de Política Econômica, Carlos Hamilton. Já a previsão de crescimento do PIB caiu de 4% para 3,5%. A autoridade monetária alertou que aumentos reais de salário e a indexação da economia representam riscos para o controle da inflação. Para analistas de mercado, porém, o BC sinalizou que vai continuar cortando juros neste ano, por causa da crise internacional. (Estadão)

Primeiras páginas_30.set.11

O GLOBO – Comercial de Gisele pode ficar fora do ar

FOLHA DE SÃO PAULO – BC prevê inflação maior, PIB menor e queda de juros

CORREIO BRAZILIENSE – BB terá que explicar debandada de Brasília

O ESTADO DE SÃO PAULO – BC prevê PIB em baixa e inflação alta

ESTADO DE MINAS – BC vê risco de estouro da meta de inflação

ZERO HORA – Juízes debatem atuação do CNJ

VALOR ECONÔMICO – STF aceita denúncia contra Maluf por lavagem de dinheiro

JORNAL DO COMMERCIO (PE) – DEM aposta em valores conservadores

Ne me quitte pas – Jacques Brel

 

Impunidade

Caso contra deputado é arquivado sem investigação

O Conselho de Ética da Câmara arquivou, por 16 votos a 2, as acusações contra Valdemar da Costa Neto (PR-SP), sem abrir investigação. O relator, Fernando Francischini (PSDB-PR), defendeu o processo em que Valdemar seria acusado de esquema no Ministério dos Transportes. Ele é réu no processo do mensalão e em 2005 renunciou ao mandato para escapar da cassação – foi eleito novamente em 2006. “Não se pode banalizar o Conselho de Ética”, disse Amauri Teixeira (PT -BA) ao justificar o arquivamento. (Estadão)

Cúpula da Justiça nos Estados tem 35 investigados

STF adia decisão sobre ação que tenta limitar poderes do Conselho Nacional de Justiça para punir magistrados

Pelo menos 35 desembargadores são investigados pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) hoje. Eles formam a cúpula do Judiciário nos Estados, julgando recursos contra as decisões dos juízes de primeira instância. Desde 2005, 20 deles foram punidos pelo conselho.

Ontem, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu adiar decisão sobre ação, proposta pela Associação dos Magistrados Brasileiros, que alega inconstitucionalidade e busca limitar a atuação do CNJ. Se a tese vingar, as punições do conselho podem ser derrubadas.

Explicação

A corregedora Eliana Calmon disse a Mônica Bergamo que suas declarações não foram ofensa a todos os juízes e que quer proteger a magistratura dos “bandidos infiltrados”. (Folha de S. Paulo)

No país da impunidade

Reação da opinião pública impede tribunal de retirar poderes do CNJ

Diante da forte reação da opinião pública e das críticas ao corporativismo no Judiciário, o Supremo Tribunal Federal (STF) desistiu de julgar ontem a ação que tira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) poderes para investigar e punir magistrados. A maioria dos ministros do STF tendia a aceitar a ação, movida pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AME), mas o presidente da Corte, Cezar Peluso, adiou sua apreciação. “O momento não é adequado. Vamos deixar até que os fatos sejam mais esclarecidos”, resumiu Marco Aurélio Mello, relator da ação. A crise chegou ao seu auge com a declaração da corregedora do CNJ, Eliana Calmon, para quem o esvaziamento do Conselho beneficiará “bandidos escondidos atrás da toga”. No Senado, foi apresentada emenda constitucional mantendo os poderes do CNJ. (O Globo)

Primeiras páginas_29.set.11

O GLOBO – STF em crise não consegue decidir sobre punição a juízes

FOLHA DE SÃO PAULO – CNJ diz que são suspeitos de crimes 35 desembargadores

CORREIO BRAZILIENSE – Deputados desdenham de manifestação e livram Valdemar de processo

O ESTADO DE SÃO PAULO – Sob pressão, STF mantém poder de investigação do CNJ

ESTADO DE MINAS – Protesto sem efeito contra a corrupção

ZERO HORA – Supremo faz acordo para esfriar crise

VALOR ECONÔMICO – Justiça Eleitoral volta a tornar casal Garotinho inelegível

JORNAL DO COMMERCIO (PE) – Dedução do IR com domésticos é prorrogada

Maria Bethânia- Negue

No país da impunidade

Punição a juízes abre guerra na cúpula do Poder Judiciário

Em meio a um embate que pode tirar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) o poder de punir juizes por ma conduta, a corregedora nacional de Justiça. Eliana Calmon, foi pressionada pelo presidente do colegiado e também do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso, para que se retratasse de afirmações de que é preciso combater a impunidade e que há “bandidos escondidos atrás da toga”. Eliana se recusou, e Peluso, após áspera discussão a portas fechadas, divulgou nota, assinada por outros integrantes do CNJ, afirmando que declarações “publicadas de forma generalizada ofendem a idoneidade e a dignidade de todos os magistrados”. O STF deve decidir hoje sobre a ação da Associação dos Magistrados Brasileiros que contesta o poder de punição do CNJ. A tendência é ir contra o Conselho. (O Globo)