Arquivos Mensais: março 2011

Itzhak Perlman interpreta Tchaikovsky

Saiba mais sobre Itzhak Perlman

Artigo

Armas da Rede Social: facas de dois gumes

MIRANDA SÁ, e-mail: [email protected]

Sou um agitador e propagandista da Rede Social e suas ferramentas, Twitter, Orkut, Facebook, You Tube e outras, contra a exploração econômica, erros judiciários, a política antipopular e os políticos corruptos.

Quero que a intelligentsia brasileira use os instrumentos da Rede Social a favor dos interesses do Brasil e dos brasileiros (evidentemente sem esquecer o humanismo e a solidariedade internacional) e creio que neste meu querer sou um bom agitador e propagandista, mas não fanático e muito menos burro.

Sei que há forças gigantescas e miúdas também que estão infiltradas na Rede. Até os politicozinhos de meia tigela se misturam com os políticos sérios para fazer média. E nesse quadro, por extensão, forças poderosas do Império Norte-Americano e seus satélites interveem sem-cerimônia.

Basta acompanhar de leve as versões do Twitter em inglês e francês para se encontrar o rabo do gato, talqualzinho a interferência de Zé Dirceu e Roberto Jefferson no mundo dos blogs, e os jornalistas chapas-brancas no Twitter, concorrendo com jornalistas de oposição, independentes ou igualmente mercenários.

Os que me conhecem sabem que não bato prego sem estopa. A notícia é de boa fonte, assumo, se é duvidosa, boto na boca de quem repassou. Quando digo que as nossas armas da Web são facas de dois gumes, me baseio nas notícias sobre a Líbia, tão controvertidas quanto diferentes as traduções do nome do ditador Kadafi, grafia que adotei.

As comunicações que correm na Rede Social teem três origens: Dos defensores do regime ditatorial; dos que querem derrubá-lo de qualquer maneira; e dos que tentam trazer uma informação correta.

O engraçado é que as mais próximas da realidade vêem dos EUA. A postura on-line da Al Jazeera, por exemplo, defende o conselho formado pelos rebeldes como verdadeiro governo da Líbia, enquanto a linha da revista New Yorker pergunta quem são os rebeldes, registrando que a liderança do movimento é uma mistura de estudantes, clérigos, pequenos comerciantes e desempregados.

Frente à chamada Coalizão, as intervenções através de links trazem versões diferentes de origem alemã, francesa, inglesa, italiana e até russa. Der Welt, Le Fígaro, Corriere de La Será e Daily Telegraph defendem cada um os interesses nacionais.

Justiça se faça ao inglês “Financial Times”, que não esconde a perseguição de lucros com o petróleo, vindo ao encontro do que já escrevi na atual série de artigos, no texto “A Guerra Secreta pelo Petróleo”, relatando a relação das grandes empresas petrolíferas com a Líbia e Kadafi. Um dos seus TT foi dizendo que o “Qatar abre caminho para oposição líbia lucrar com petróleo”.

O Qatar, como sabemos, é uma sucursal da British Petroleum, que foi ligada ao mundo árabe com o nome de Anglo-Persian Oil Company, e hoje se chama BP Amoco.

A maioria dos twitters brasileiros combate as ditaduras e deve estar atenta para a contra-informação. Agora mesmo temos um peso pesado do grupo Obama entrando na Rede, Robert Gibbs, que vai para a direção do Facebook, conforme reportou o New York Times.

O grande jornal americano não disfarça: “O Facebook vem recebendo solicitações de intervenção na rede social no Oriente Médio”. E é o parceiro de Obama que irá executar esta política…

Frase_1/31

 

“Uma certa tolerância com a inflação é a nova cara do BC, que optou por medidas suaves. Isto não se afina com o discurso de Dilma” (Celso Ming)

Primeiras páginas_Notícias de Hoje

BC vê pressão gigantesca sobre os preços em 2011 – O Banco Central jogou a toalha e admitiu ontem que não tem como atingir o centro da meta de inflação de 4,5% este ano. A previsão é que o custo de vida chegue a 5,6% em 2011. Pela regra atual, a inflação pode oscilar até dois pontos para cima ou para baixo, de 2,5% a 6.5%. O alerta foi feito na divulgação do primeiro Relatório de Inflação deste ano em que o BC adverte para um choque “gigantesco” de preços das commodities (matérias-primas).

Últimas homenagens a José Alencar

Com honras de chefe de Estado, o corpo do ex-vice-presidente José Alencar foi velado ontem no Palácio do Planalto. Quase cinco mil pessoas e uma centena de autoridades e políticos de vários partidos passaram pelo Salão Nobre para se despedir de Alencar, sempre destacando sua lealdade e seu exemplo na luta contra o câncer.

Diretoria da Vale desiste de saída coletiva após indicação – A indicação de Tito Martins – funcionário desde 1985 – para presidir a Vale, ontem, acalmou os diretores da mineradora, que ameaçavam deixar coletivamente a companhia com a saída de Roger Agnelli. O Bradesco divulgou nota em que nega a indicação de Martins para o lugar de Agnelli na empresa.

Revolta agora é em obra de Eike Batista – Depois das rebeliões nas usinas de Jirau e Santo Antonio, cerca de 300 homens que trabalham na construção do terminal de minério de ferro do Porto do Açu, no Norte Fluminense, bloquearam ontem a RJ-240, queimando pneus e galhos. A obra é do empresário Eike Batista Os operários pedem aumento salarial e 30% de periculosidade.

BC prevê um PIB menor e inflação maior para este ano – O Banco Central reduziu de 4,5% para 4% sua previsão para o crescimento da economia neste ano e elevou a sua estimativa da inflação de 5% para 5,6%. O PIB deve se expandir menos por causa das medidas adotadas para conter a alta do crédito e impedir a elevação dos preços.

MEC nega desativação de escolas especiais – O Ministério da Educação negou ontem que fechará as escolas do Instituto Nacional dos Surdos, em Laranjeiras, e do Instituto Benjamim Constant, na Urca. O ministro Fernando Haddad convocou os dirigentes das instituições para uma reunião terça-feira em Brasília.

CIA já estaria na Líbia entregando armas – O fulminante contra-ataque de Kadafi no Leste da Líbia, retomando cidades perdidas, levou mais países da coalizão internacional a reforçar a ideia de armar os rebeldes. Ontem, líderes do Reino Unido e do Qatar mencionaram a possibilidade, já cogitada por EUA e França. Espiões da Agência Central de Informações dos EUA estariam na Líbia em contato com os rebeldes, o que pode abrir caminho à entrega de armas.

Dengue: Rio já tem 10 cidades com epidemia – O Estado do Rio já tem dez cidades com epidemia de dengue, três a mais do que na semana passada. Estão na lista agora Cabo Frio, Cordeiro e Silva Jardim. A doença já matou 23 pessoas este ano.

Alagoas: Primeiras-damas presas por desviar merenda – A Polícia Federal prendeu em Alagoas 16 pessoas ligadas à administração pública, inclusive 4 primeiras-damas, suspeitas de desviar R$ 8 milhões da merenda escolar.

Bolsonaro diz estar se lixando para acusações – Irritado com a repercussão de suas declarações em entrevista à cantora Preta Gil na TV, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) disse que está se “lixando para esse pessoal aí”, referindo-se à acusação de homofobia.

Piauí lidera caça a infiéis partidários – O Piauí, onde houve uma forte debandada de políticos egressos do DEM,  foi um dos Estados em que a resolução mais movimentou os tribunais. Ali, foram ajuizadas 996 ações, que resultaram em 390 vereadores e um deputado estadual cassados. Em algumas câmaras municipais do Estado, todos os vereadores foram alvo de processo.

Líder sírio vê complô – O presidente da Síria, Bashar Assad, ignorou os apelos para revogar o estado de emergência e culpou “conspiração internacional” pelos protestos.

Judiciário eleva gastos, mas não cumpre meta – Levantamento do Conselho Nacional de Justiça mostra que, mesmo gastando acima do previsto, o Judiciário acumulou 989.321 novos processos sem julgamento em 2010 – a meta era zero. O total de casos deve superar os 86,5 milhões do ano passado. A categoria quer reajuste salarial de 14,79%, que seria estendido aos magistrados que tiveram desempenho avaliado.

USP pode elevar hoje nota mínima para seu vestibular – A Universidade de São Paulo vota hoje, em reunião do conselho de graduação, mudanças em seu vestibular. A proposta, válida já para este ano, prevê aumento do bônus para alunos da rede pública de 12% para até 15% da nota e a volta da pontuação da primeira fase na soma total. Também será debatido o aumento da nota mínima da primeira fase de 22 para 27 pontos. Hoje, nenhum candidato que faça menos de 22 pontos passa à segunda etapa da Fuvest.

Perdas com o avanço da dengue – Levantamento da Unimed-Rio mostra que os gastos com internações na capital fluminense relacionadas a casos de dengue já somaram R$ 780 mil neste ano, ante R$ 1 milhão em todo o ano passado.

 

Primeiras páginas_31.mar.11

O GLOBO – BC vê pressão gigantesca sobre os preços em 2011

FOLHA DE SÃO PAULO – BC prevê um PIB menor e inflação maior para este ano

O ESTADO DE SÃO PAULO – BC desiste de tentar baixar inflação para 4,5% em 2011

CORREIO BRAZILIENSE – Muitas dívidas? Calote à vista

VALOR ECONÔMICO – BC desiste de atingir centro da meta em 2011

JORNAL DO COMMERCIO (PE) – Bolsonaro diz estar se “lixando” para críticas

ESTADO DE MINAS – MEC pede ajuda para a produção do Enem

ZERO HORA – Por ordem de Obama, CIA ajuda a atacar Kadafi

Artur Rubinstein interpreta Beethoven

Saiba mais sobre Rubinstein

Artigo

Ferramentas da Web tornam-se armas: o Twitter

MIRANDA SÁ, jornalista E-MAIL: [email protected]

 As rebeliões contra as ditaduras e governos monocráticos do mundo árabe registram um fato novo na História da Humanidade: a mobilização, organização e levante das elites intelectuais influindo sobre as massas. Assim ocorreu na Tunísia e no Egito derrubando-se ditadores; ensaia-se no Bahrein e no Iêmen, e transcorre como guerra civil na Líbia, com intervenção estrangeira.

Tive a maior atenção em ler Diego Beas, articulista do renomado órgão espanhol El Pais, constatando um axioma quando ele escreve que “A rede social dotou o cidadão de uma nova e magnífica ferramenta que necessariamente subtrai poder ao Estado”.

Divulguei a máxima no Twitter e venho exortando meus seguidores a levar muito a sério o uso dessas ferramentas, Facebook, Orkut, Twitter, YouTube e outras, no combate à exploração econômica e aos maus políticos.

A verdade é que não são mais as escolas que arregimentam a opinião pública, levantando os estudantes. No caso dos institutos de segundo grau a resistência natural do aluno a um ensino superado e sem atrativos, aquieta e burrifica àqueles que um dia escreveram capítulos heróicos da História do Brasil.

No caso universitário, a ditadura conseguiu destruir a convivência das turmas ao longo do curso, e a redemocratização manteve essa prática desagregadora que impede o conhecimento coletivo dos caracteres e estímulo às lideranças.

Além disso, a Universidade está dominada por uma facção, como num pátio de colégio interno, por uma turma audaciosa, agressiva, egocêntrica e egoísta. Uma fração minoritária arregimenta a massa de acomodados como um rebanho, e o pior é que essa fração é cooptada pelo governo com benesses, promoções e verbas públicas.

Assim cabe à cidadania letrada – que compõe e dá essência à Rede Social – levantar o modo patriótico de pensar a realidade, fazer críticas e sugestões, sugerir mudanças e organizar as tendências políticas semelhantes.

Coexistem com esta proposição dois problemas antipopulares. A volta da CPMF e a transferência do Legislativo para o Executivo da prerrogativa de legislar por decreto no caso do Salário Mínimo.

A CPMF – o famigerado Imposto do Cheque – em boa hora derrubada na legislatura passada – teve a origem bem-intencionada de atender à assistência médica pública, sendo desvirtuada desde o início por desvios de finalidade, transferência de responsabilidade e, porque não dizer, entrando pelos ralos da corrupção.

Num típico estelionato eleitoral, os governadores do Nordeste se reúnem e reivindicam a volta deste imposto maligno, que não levaram aos seus palanques na campanha. Contra eles muitos teem se levantado na Rede Social, contra a mentalidade tacanha dos dirigentes nordestinos, me envergonhando sobremaneira por essa indignidade vir da região onde nasci.

O caso da governança federal por decreto me assusta. É um passo para a ditadura, porque é intolerável numa democracia essa prática comum aos governos totalitários. A corrente #AbaixoDecreto no Twitter obteve mais de trezentas mil assinaturas, número respeitável em termos políticos.

A Internet oferece a tecnologia que revoluciona o mundo, os costumes, a maneira de ver e a consciência da força cidadã.

Frase

“BC acredita que está sendo conservador quanto ao impacto das medidas macroprudenciais sobre o crédito e a inflação”. (Cristiano Romero)

Opiniões

Vice divergia em público, mas sem causar crise

Nos oito anos com Lula, José Alencar divergia em público, mas sem provocar crises. Colaborou ao empregar um caráter mais maduro ao cargo que ocupou. Se as pessoas têm opiniões, por que não expressá-las? (Fernando Rodrigues/)

Foi uma espécie de grilo falante contra os juros

José Alencar era um tipo bonachão, sorridente e contador de “causos”. Dava a impressão de estar sempre confraternizando com as pessoas. E foi uma espécie de grilo falante, protestando contra os juros. (Fernando de Barros e Silva)

O teste diplomático de Dilma

A presidente vai à China, país muito mais lúcido que o Brasil na defesa de seus interesses nacionais. (Estadão)

Câncer mata José Alencar

Morte depois de 13 anos de luta contra o câncer

O ex-vice-presidente da República José Alencar morreu ontem em São Paulo, aos 79 anos, em decorrência de um câncer de abdômen. A presidente Dilma Rousseff soube da notícia em Portugal, ao lado do ex-presidente Lula, e decretou luto de sete dias. Alencar será velado no Planalto, com honras de chefe de Estado. Lula e Dilma choraram ao lembrar Alencar – um Silva que nasceu pobre, tornou-se empresário bem-sucedido e, na política, aliado fiel do governo do PT, apesar de crítico da política de juros altos. Para o país, virou símbolo da luta contra o câncer.

Velório

O corpo do José Alencar será velado hoje em Brasília e amanhã em Belo Horizonte. A presidente Dilma Rousseff e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, anteciparam a volta de Portugal. Lula chorou ao saber da notícia. Foi decretado luto oficial de sete dias.