Arquivo do mês: setembro 2008

Poesia

Sento-me e observo

Sento-me e olho para todos os sofrimentos do mundo,
e para toda a opressão e vergonha;
Ouço secretos e convulsivos soluços de jovens homens,
angustiados, cheios de remorsos após os actos cometidos;
Vejo a triste vida da mãe maltratada pelos seus filhos,
morrendo, negligenciada, desolada, desesperada;
Vejo a esposa abusada pelo marido
Vejo o pérfido sedutor de jovens mulheres;
Registro a raiva do ciúme e do amor não correspondido,
que se tenta esconder — vejo estas visões na Terra;
Vejo o desenrolar das batalhas, peste, tirania
Vejo mártires e prisioneiros;
Observo a fome no mar — Observo os marinheiros
sorteando quem será morto, para preservar a vida dos demais;
Observo o desprezo e a degradação lançados
pelos arrogantes contra os operários,
os pobres, e sobre os negros, e outros discriminados;
Tudo isto — Toda a mesquinhez e agonia sem fim,
Sento-me, observo,
Vejo, ouço e silencio.

Walt Whitman

O Poeta

Walt Whitman, poeta norte-americano (31/5/1819-26/3/1892). Criança solitária, era neto de camponeses e filho de um carpinteiro de Brooklyn, então uma simples aldeia dos arredores de Nova Iorque. Exerceu várias profissões: tipógrafo, professor, jornalista, operário agrícola, enfermeiro, empregado de escritório…

Percorreu Nova Iorque ao lado de um cocheiro da Broadway, e aí, curioso de tudo, descobriu a multidão, o music-hall, o teatro popular e a ópera italiana. Leu Dante em plena floresta e a Ilíada a bordo, em pleno Atlântico.

Recebeu a influência de Robert Owen, de Fanny Wright, de Ralph Waldo Emerson, e do movimento Quaker.Revolucionário na forma e na temática de sua poesia, defende a abolição da escravatura, os direitos da mulher, o amor livre e o desenvolvimento tecnológico.

Consegue um cargo no Ministério do Interior, mas é demitido pouco depois porque o titular da pasta se indigna com Leaves of Grass (Folhas de Relva), livro de poemas de Whitman publicado pela primeira vez em 1855 e reeditado com revisões e ampliações durante anos.

A obra, repudiada pelos críticos de então, introduz o verso livre e dá tratamento poético a coisas e fatos do cotidiano, como o progresso técnico e o sexo. Em 1871 expõe seus pontos de vista políticos no ensaio Democratic Vistas, que tem grande repercussão.

Em 1873 uma doença vascular o deixa parcialmente paralítico. Passa então a morar em Camden, Nova Jersey, com a família. Em fins de 1891 publica a última edição de Leaves of Grass e morre poucos meses depois.

INFORMAÇÃO

Tião Viana na corda bamba

Ou o presidente Lula dá um murro na mesa e torna público seu apoio à candidatura de Tião Viana à presidência do Senado, ou logo estará em risco à aliança PT-PMDB, no Congresso. Porque nem tudo está pronto a arrumado, quer dizer, Tião Viana, do PT, no Senado, e Michel Temer, do PMDB, na Câmara. Parte da bancada peemedebista de senadores refuga o colega petista, tido como rígido demais, cobrador em demasia, e moralizador empedernido.

Carlos Chagas, jornalista

BANCOS FECHADOS

Greve dos bancários pelo Brasil afora

Em São Paulo, a paralisação atingiu 220 locais de trabalho, segundo o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região. Estima-se que cerca de 10 mil funcionários de bancos cruzaram os braços.No Distrito Federal, todas as agências tiveram os serviços paralisados e apenas o auto-atendimento funciona normalmente.

Os sindicatos do Rio de Janeiro, Maranhão, São Leopoldo, Santa Maria e região (RS) e Bauru (SP) votaram pela greve por tempo indeterminado. Neste momento, assembléias estão ocorrendo em todo país e em Natal (RN), a categoria decidirá dentro em pouco se a greve terá continuidade.

PARALISAÇÃO

Bancários em greve por melhores salários

Bancários de todo o país fazem paralisação de 24 horas nesta terça-feira (30). Segundo nota da Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), entidade ligada à CUT, sindicatos de 18 Estados decidiram pela paralisação em assembléias realizadas na última segunda-feira. Eles rechaçam proposta de reajuste salarial de 7,5% apresentada pela Fenaban e pedem a retomada das negociações. No Distrito Federal, os bancários paralisaram suas atividades por tempo indeterminado.

UOL Notícias/São Paulo

ÚLTIMAS

Bolsa salta 7,63%, mas perde 11% no mês

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuperou-se parcialmente do tombo da véspera e deu um salto nesta terça-feira, fechando com ganho de 7,63%, aos 49.541,27. No dia anterior, a Bolsa havia perdido 9,36%. Em setembro, o prejuízo da Bovespa foi de 11,03%.

UolEconomia/São Paulo

FRASE DA VEZ_2/30

“Jamais houve um escândalo tão grande e tão profundo quanto o das gravações. Como envolveu personagens dos Três Poderes, não chegará a conclusão alguma”.

Hélio Fernandes, jornalista

Octave Tassaert

Octave Tassaert - Estúdio Interior 1845

Octave Tassaert (1800 – 1874) pintor francês. Nascido em uma família de origem flamenga que já havia incluído várias gerações de artistas, (Nicolas-François) Octave Tassaert foi primeiro ensinado por seu pai, Jean-Joseph-François Tassaert (1765-ca. 1835) e, em seguida, por seu irmão mais velho, Paul (m. 1855), que eram ambos printmakers. Em 1816 Octave estudou na École des Beaux-Arts de 1817 através de 1825, sob Guillaume Guilhón-Lethière (1760-1832).

No final dos anos 1820 e início dos anos 1830, o artista pintou histórias, pinturas e alguns retratos, mas, de modo a fazer face às despesas, trabalhou para várias editoras como gravador e litógrafo. Seu primeiro sucesso veio quando o Duque d’Orléans adquiriu a sua lona A Morte de Correggio (Salon 1834, Hermitage, S. Petersburgo).

Saiba mais sobre Octave Tassaert aqui

Acordo ortográfico e Lula

Comentário (III)

Não dá ‘ideia’

Lula, que assinou ontem na Academia Brasileira de Letras o decreto do novo acordo ortográfico, deve ter lamentado a manutenção do plural.

Cláudio Humberto, jornalista

Lá como cá

A eleição para presidente dos Estados Unidos está interferindo diretamente das decisões do Congresso norte-americano sobre as medidas a serem tomadas para enfrentar a crise financeira mundial iniciada lá, em seus principais bancos. O duelo entre democratas e republicanos, deixa isso claro.

Os republicanos querendo se esquivar da condição de dono da crise e os democratas tentando tirar uma casquinha e empurrar a autoria para o adversário. O resultado foi a rejeição do pacote proposto pelo governo Bush para tentar salvar o sistema financeiro.

A pior coisa que pode acontecer a um país é a contaminação de um problema econômico pelas questões políticas. Pior, ainda, quando o problema de lá tem repercussões diretas em todo o mundo, como é o caso desta crise financeira mundial.

Do lado de cá do Equador já vimos algumas vezes os interesses políticos interferirem em questões econômicas. É claro que nunca na dimensão desta crise que o mundo vê neste momento.

Depois dessa tempestade, o mundo vai ser diferente.

Fonte: Cristiana Lôbo