Arquivos Mensais: outubro 2007

FRASE DA VEZ_3/31

“Ele, Lula, deverá decidir se quer entrar na História pela “porta da frente”, como o operário que chegou à Presidência da República, ou pela “porta de trás”, como mais um caudilho desta estigmatizada América Latina.”

Roberto Magalhães, deputado federal

TIM MAIA

Ultimo e emocionante show do Tim, cantando seu sucesso “Me dê Motivo.”

ZECA BALEIRO

Canta “Versos Perdidos”, composição sua e Nilo Fausto.

Licitação suspeita II

O edital do Ministério da Saúde, preparado na área de Logística, permite a manipulação da planilha de preços, favorecendo a empresa Aplauso.

Assessores do ministro José Gomes Temporão (Saúde) dizem que tentaram suspender a licitação, sem êxito. Dizem que “a máfia venceu”.

Saúde fará licitação suspeita

O Ministério da Saúde realiza nesta quarta-feira uma polêmica licitação para escolher a “agência de eventos” que vai torrar uma verba de até R$ 120 milhões. A escolha, na verdade, já teria sido feita: a agência Aplauso, dona de outros 62 contratos do gênero, no governo federal. O ministério alega que gastará no máximo R$ 36 milhões no primeiro ano – ainda assim, o dobro das despesas em combate e prevenção de doenças como a dengue.

Fonte: claudiohumberto.com.br

Skaf entrega 1,3 milhão de assinaturas contrárias à CPMF ao Senado

O presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, causou alvoroço hoje na (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. No final de sua participação na audiência promovida pela CCJ para discutir a prorrogação da cobrança da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), Skaf entregou um abaixo-assinado com 1,3 milhão de nomes contrários à continuidade do chamado “imposto do cheque”.

Segundo ele, as assinaturas foram coletadas por diversas entidades de vários Estados do país. “Peço licença aos senhores senadores e às senhoras senadoras para entregar 1,3 milhão de assinaturas de todos os Estados [contrárias à CPMF]”, disse.
Durante sua participação na audiência, Skaf condenou a prorrogação da cobrança. Ele afirmou que a reforma tributária não prevê formas eficientes de desoneração fiscal e que a única chance de reduzir efetivamente a carga tributária é por meio da eliminação da CPMF.

“Vamos acabar com isso. Não vamos perder a única chance de redução da carga tributária e desoneração, que é com a CPMF”, afirmou Skaf. “Por respeito à sociedade brasileira, que não quer mais impostos.”
Skaf disse que em vez de repassar vantagens para a população por meio da elevação da arrecadação, a União usa a receita extra para cobrir gastos. “Quando se aumenta arrecadação é para repassar vantagem para sociedade e não para cobrir elevação de gasto.”

Ele afirmou que não concorda com o argumento de que a CPMF é uma ferramenta de fiscalização e combate à sonegação. “Se o intuito fosse fiscalizador, a alíquota seria infinitamente menor.”

Fonte: Folha Online

Zuanazzi deixa Anac e diz que Jobim não conhece a aviação brasileira

Milton Zuanazzi

Após apresentar um balanço de sua administração à frente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o diretor presidente da entidade, Milton Zuanazzi, anunciou que irá entregar sua carta de exoneração na tarde desta quarta-feira. Ao anunciar sua saída, ele criticou o ministro da Defesa, Nelson Jobim. “Estou saindo porque não quero trabalhar com ele [Jobim]”, afirmou. Zuanazzi também disse que o ministro não conhece a aviação civil brasileira.

Zuanazzi disse que existe uma “agenda oculta” no país que não quer o crescimento do Brasil. “Essa agenda não quer que pobre ande de avião”. O ex-presidente da agência também afirmou que a crise aérea no Brasil não deverá acabar em março do ano que vem como prevê o ministro Nelson Jobim. “O apagão causado pelo movimento dos controladores aéreos está sob controle, mas os problemas meteorológicos não vão acabar nunca”, disse.

Ele também criticou a idéia de Jobim de aumentar a distância entre as poltronas nas aeronaves. Segundo ele, essa medida aumentaria o preço das passagens aéreas.A substituta de Zuanazzi será Solange Vieira, já indicada pelo ministro para ocupar o cargo.

Fonte: Uol News

charge do Amarildo

Fonte: chargeonline.com.br/Amarildo

Deputado Ronaldo Cunha Lima renuncia ao cargo

O deputado federal Ronaldo Cunha Lima (PSDB-PB) entregou na tarde desta quarta-feira seu pedido de renúncia em caráter irrevogável na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). O documento foi entregue nas mãos do deputado Nárcio Rodrigues (PSDB-MG), que presidia a sessão plenária.

Cunha Lima seria julgado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na próxima segunda-feira. Ele é acusado de balear Tarcísio Buriti, seu inimigo político e ex-governador da Paraíba, em 5 de dezembro de 1993, em um restaurante. Na época, Ronaldo era governador do Estado.

O processo está no STF desde 1995. Com a renúncia, o deputado, que é pai do atual governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), deverá perder seu foro privilegiado e o processo deverá ser remetido para a Justiça comum.O suplente que deverá assumir a vaga é Walter Correia de Brito Neto (DEM-PB). A expectativa é que Ronaldo Cunha Lima faça um pronunciamento no plenário da Câmara ainda nesta quarta-feira.

Fonte: Folha Online

CPI pede indiciamento de ex-diretora da Anac e livra ex-dirigentes da Infraero

Sem a presença de senadores da oposição, a CPI do Apagão Aéreo do Senado aprovou nesta quarta-feira –por seis votos a um– o relatório paralelo dos governistas elaborado pelo senador João Pedro (PT-AM). O relatório pede o indiciamento da ex-diretora da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) Denise Abreu e de mais 15 pessoas.

No texto paralelo, os governistas retiraram nomes de nove autoridades do sistema aéreo nacional que tiveram o indiciamento recomendado por Demóstenes, o que gerou protestos da oposição. O relatório dos governistas exclui da lista de indiciados o ex-presidente da Infraero Carlos Wilson, além de servidores da estatal como Eleuza Terezinha (ex-diretora de engenharia), Fernanda Brendaglia (ex-diretora comercial), José Wellington Moura (ex-diretor comercial) e Marco Antonio Oliveira (ex-superintendente da região Centro Oeste).

O petista afirma que o seu texto não cometeu os mesmos “erros” de Demóstenes, com o argumento de que não que transformar a CPI em duelo entre governo versus oposição. O democrata reagiu às acusações ao argumentar que efetivamente havia uma “quadrilha” que operava na Infraero sob o comando de Wilson.

“Vocês têm maioria para ganhar, mas tenho consciência que meu trabalho não foi político. Eu não conheço o senhor Carlos Wilson, o respeitei para não ser convocado. Mas os indícios contra ele são contundentes. Mantenho o voto que proferi”, disse Demóstenes.

Com a aprovação do relatório paralelo, a CPI do Apagão do Senado encerrou seus trabalhos.

Fonte: Uol News

UMA VERDADEIRA VERGONHA ESSE ENCERRAMENTO DA CPI SEM A PUNIÇÃO DOS CONHECIDOS RESPONSÁVEIS! MAIS UMA VEZ A TROPA DE CHOQUE DO GOVERNO ATUA PARA ABAFAR MAIS UM ESCÂNDALO! ATÉ QUANDO?